Com plano da Petrobras, Brasil passa China e EUA em reservas até 2020

0

Novo plano de investimentos da Petrobras amplia foco em exploração e produção de petróleo, para duplicar reservas comprovadas da estatal e elevar em 137% extração diária de barris até 2020. Se atingida, meta de aumento das reservas fará Brasil superar China e EUA no ranking da Opep. Petrobras também decide cortar quase 10% de gastos programados para este ano, o que ajuda Governo a controlar inflação. Plano de US$ 224,7 bilhões até 2015 foi aprovado com atraso porque a Presidente Dilma Rousseff, que já dirigiu o Conselho, quis conhecer detalhes.

A Petrobras vai reforçar o peso e o volume de investimentos em exploração e produção de petróleo, com o objetivo dar um salto expressivo de produção na camada pré-sal e de dobrar as reservas comprovadas da estatal até 2020. Ao mesmo tempo, cortou parte dos gastos previstos para este ano, o que deve ajudar o governo a controlar a inflação com uma atividade econômica menos veloz.

Ao concentrar as atenções em exploração, a Petrobras espera chegar a 2020 com o dobro de reservas de petróleo comprovadas, segundo comunicado distribuído depois da reunião do Conselho.

A estatal diz ter atualmente 15 bilhões de barris, quando se adotam critérios de medição da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e de uma entidade internacional chamada Sociedade de Engenheiros de Petróleo. Já pelos critérios de uma agência norte-americana que vigia o “mercado” acionário nos Estados Unidos, o estoque da Petrobras seria de 12 bilhões.

Em seu anuário estatístico, cuja última edição foi divulgada dia 18 de julho, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que reúne os principais produtores do mundo, reconhece 12 bilhões de barris como reservas brasileiras. E coloca o país na décima quarta posição, numa lista de 40, entre os maiores estoques internacionais. O campeão é a Venezuela, com 296 bilhões de barris, 20% das reservas mundiais.

Caso a Petrobras dobre mesmo seu estoque nos próximos nove anos, e nenhuma outra grande reserva fosse descoberta no mundo, o Brasil passaria China, Estados Unidos e Catar e se tornaria o décimo primeiro no ranking da Opep.

No caso dos gastos em produção, a meta da Petrobras é chegar a 2015 com alta de 43% no volume de barris diários e de 137% até 2020. Atualmente, a estatal extrai 2,7 milhões de barris por dia. A grande esperança para elevar este número é a extração efetiva de óleo da chamada camada pré-sal, que hoje representa apenas 2% da produção nacional. Até 2020, essa proporção avançaria para 40%.

Com as informações – André Barrocal / Carta Maior

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta