Transpetro quer logo a licença ambiental do Promar

0
173

 

O Promar – segundo estaleiro a chegar ao Complexo de Suape – ainda não deu início às obras de sua infraestrutura e, de acordo com o Presidente da Transpetro, Sérgio Machado, o prazo para que as pendências burocráticas se­jam resolvidas acaba este mês.

Durante a realização da aula inaugural do curso de Engenharia Naval e Oceânica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Machado afirmou que o Promar ainda precisa conseguir a autorização para supressão de vegetação. Em julho, foi divulgado que as obras só começariam em setembro. Oito navios já foram encomendados ao Promar.

“Está tudo pronto para que a pedra fundamental seja lançada, mas ainda faltam pequenos acertos. Queremos, e precisamos, que essa licença saia logo”, falou Machado. Por meio da assessoria de Im­prensa, a Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH) informou que a licença para instalação foi emitida em março de 2010, mas a autorização para supressão de vegetação, de fato, ainda está em análise. Não há prazo para que esta questão seja resolvida. A reportagem não conseguiu entrar em contato com representantes do Promar.

A boa notícia para a indústria naval fica por conta da data de entrega do navio João Cândido, encomendado ao estaleiro Atlântico Sul pela Transpetro. Sérgio Machado afirmou que, após quase um ano de atraso, o navio será entregue em outubro. Ele preferiu não repercutir as críticas que o atraso causou. “Nós ouvimos muita coisa ruim. Muita gente falando que não era para contratar mão de obra local. Mas esse é o preço do pioneirismo”, disse. O segundo navio, Zumbi dos Palmares, deve ser lançado ao mar em dezembro. Até 2016 todos os navios encomendados ao AS devem ser entregues. Para Machado, é a partir daí que o estaleiro começará a funcionar em bom ritmo.

Com as informações – Rodrigo Lins / Folha de Pernambuco

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta