Filipinos chegam com tudo em nossas unidades marítimas

3

A expansão do setor de petróleo e gás atraiu um número recorde de trabalhadores filipinos ao País para exercer atividades em alto-mar. Com o mercado aquecido e pouco equipamento nacional disponível, a Petrobras e outras empresas petrolíferas de produção e exploração contratam prestadoras de serviço que trazem o “pacote completo”, com embarcações e mão de obra estrangeiras.

A admissão de trabalhadores das Filipinas em tarefas que poderiam ser feitas por brasileiros dentro de navios e em plataformas incomoda entidades que representam categorias importantes na indústria nacional de óleo e gás, como petroleiros e oficiais de Marinha Mercante. Segundo o Ministério do Trabalho, a maior parte das autorizações é concedida para a realização de serviços de curto prazo. Com isso, as empresas ficam desobrigadas de contratarem operários brasileiros. A presença de mão de obra local é exigida quando embarcações e plataformas estrangeiras operam no País por mais de 90 dias contínuos.

O número de autorizações do Ministério do Trabalho a filipinos quadruplicou em quatro anos. Passou de 1.532 em 2006 para 6.531 em 2010. No primeiro semestre deste ano, já foram emitidas 2.294 autorizações de trabalho, 32% a mais que no mesmo período de 2010.

“Os filipinos em geral fazem o trabalho braçal. Se o contrato é de curto prazo, as embarcações trazem a tripulação. Nas normas internacionais, os trabalhadores podem ficar mais de um mês embarcados, folgar dez dias e depois embarcar por mais um mês. Se o contrato for de longo prazo, as empresas têm de contratar mão de obra nacional e seguir a lei brasileira”, diz o Diretor do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense Vitor Carvalho, representante da Central Única dos Trabalhadores no Conselho Nacional de Imigração, vinculado ao Ministério do Trabalho. A legislação brasileira fixa a escala de 14 dias de trabalho embarcado para igual período de repouso em terra. Os petroleiros da Petrobras têm regime de 14 dias de trabalho embarcado para 21 de descanso em terra.

Com as informações – O Estadão

Por Rodrigo Cintra

3 COMENTÁRIOS

  1. Gostei do comentario, esta realmente excelente,pois, o conteudo esta mostrando a realidade que o setor maritimo Brasileiro esta passando na atualidade.
    Vale ressaltar tambem que, as empresas estrangeiras, preferem os filipinos aos Brasucas porque eles nao possuem uma legislacao trabalhista igual a nossa, logo, temos mais direitos que eles e este item causa incomodo as companhias que vem se instalar aqui.
    Outrossim, esta faltando a nossa legislacao ser mais severa com estas empresas estrangeiras no sentido de fiscalizar a legalidade de suas atividades. Quero encerrar este comentario chamando atencao de todos os nossos amigos maritimos para a seguinte questao, nos quando somos contratados aqui no Brasil passamos por uma serie de exigencias, nao bastasse apenas os documentos e o tempo que isso leva para ser colcluido, ainda somos obrigados a falar outro idioma se quisermos trabalhar em navio estrangeiro, ora, nao sao eles que estao vindo para ca? o certo nao seria exigir deles que falem nosso idioma? realmente esta tudo errado neste aspecto, isso precisa mudar, pois, quando nos vamos a outro pais em busca de emprego, somos nos que temos de nos preparar para falar o idioma local e nao o contrario.
    Abracos

    Reginaldo Fonseca
    MNC

  2. Prezado Reginaldo, seu comentario esta muito bem aplicado, espero que mais pessoas com seu pensamento se manifestem neste sentido, somente assim teremos uma marinha mercante mais solida e rspeitada internacionalmente, afinal, temos profissionais competentes em nosso pais que nao deixam a desejar em nada se comparados com os estrangeiros que trabalham aqui no Brasil.

    Ass. Souza
    MNM

  3. Boa noite.

    A pergunta e:
    Voce conhece algum maritimo desempregado por opcao?
    Eu nao.
    Nao temos mao de obra sufuciente para todas embarcacoes que estao chegando.
    E quanto a lingua, a lingua maritima internacional e o ingles.
    Se um dia o seu barco for mandado pra China voce tera que aprender mandarim?? Nao. Comunicacao maritima e em ingles aqui e em qualquer parte do mundo.

    OBS: Vamos olhar o assunto com mais sobriedade.

    Ass: Carlos

Deixe uma resposta