Pré-sal – ANTAQ recebe executivos da Transpetro

0

O Diretor-Geral da ANTAQ, Fernando Fialho, recebeu, nesta quinta-feira, na sede da Agência, em Brasília, o Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica da Transpetro, Paulo Carvalho, o Gerente Executivo de Desenvolvimento de Logística para o Pré-Sal da empresa, Paulo Penchiná, e a Advogada da companhia, Mariana Haft. A reunião teve como objetivo discutir os projetos de apoio às atividades de exploração de petróleo da Petrobras ao longo da costa brasileira.

O Gerente Executivo de Desenvolvimento de Logística para o Pré-Sal da Transpetro, Paulo Penchiná, informou que a Petrobras está revendo todo o seu trabalho de exploração de petróleo na costa do país por causa do pré-sal. E por conta também das recentes descobertas, a Transpetro criou uma Gerência-Executiva exclusivamente para cuidar do pré-sal.

Hoje, a Petrobras já conta com terminais para atendimento ao pré-sal no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, além de outras bases de apoio. Mas vai precisar de muitos mais, segundo o gerente geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica da Transpetro, Paulo Carvalho, já que a intenção da Petrobras é perfurar 40 novos poços até 2014.

Carvalho informou que a empresa também já atuando em Pecém, no Ceará, e brevemente iniciará operações nos portos de Belém (PA) e Ilhéus (BA). Também é intenção da empresa operar em São Luís, no Maranhão, no Porto Grande, um antigo terminal pesqueiro que passará ao controle estadual, através da Empresa Maranhense de Portos (EMAP).

O Diretor-Geral da ANTAQ, Fernando Fialho, defendeu a incorporação de novos terminais de uso privativo misto na estratégia para ampliar a logística de apoio à exploração offshore da empresa. “Essa modalidade de instalação portuária se encaixa como uma luva para a Petrobras, porque traz maior independência para a empresa. Além disso, os portos públicos, em geral, já estão comprometidos com a movimentação de outros tipos de cargas, não restando, portanto, mais muito espaço para a atividade offshore”, observou.

Para Fialho, a empresa poderia, inclusive, incentivar a construção de terminais de terceiros. A ideia, segundo ele, seria fazer algo parecido com o que a empresa está fazendo para incentivar a construção de navios petroleiros, ou seja, credenciar o mercado para construir grandes bases de suporte à exploração offshore. “Com isso, a empresa ganharia maior independência logística, além de poupar recursos, que seriam direcionados para outras atividades”, explicou o Diretor-Geral da ANTAQ.

Os executivos da Transpetro informaram ainda que a Petrobras pretende recorrer ao Plano Geral de Outorgas dos Portos, elaborado pela ANTAQ, para subsidiar o seu projeto de instalação de novos terminais.

Com as informações – ANTAQ

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta