Da Bahia para o Japão – Exportação de grãos em contêineres facilita a vida dos produtores

0

A Tecon Salvador, empresa portuária do Grupo Wilson, Sons Terminais, responsável pela operação da Unidade de Contêiner do Porto de Salvador, acaba de realizar o primeiro embarque de soja em contêiner do Nordeste para o Japão.

Para o Secretário Estadual da Agricultura, Engenheiro Agrônomo Eduardo Salles, “este é sem duvida um marco para novas possibilidades do comércio do agronegócio baiano com a Ásia”. Foram dois contêineres, com o total de 37 toneladas de soja, produzida pela Agrícola Xingu, do município de São Desidério, no Oeste baiano, produto que geralmente saía em navios graneleiros.

O embarque foi feito no porta-contêineres CMA CGM ONYX, navio que faz parte do novo serviço lançado em maio deste ano, ligando a Bahia diretamente à Ásia sem escalas.

Agora a Tecon trabalha para ampliar a exportação de algodão de menos de 1% para pelo menos 30%. Segundo maior produtor de algodão do País, a Bahia vê 99% da exportação do produto ser feita pelo Porto de Santos.

O Secretário Eduardo Salles lembrou que a criação da linha direta com a Ásia representa uma grande conquista para incrementar as relações de negócios com a Ásia, e um fator importante no processo de agroindustrialização do Estado. De acordo com Márcio Marques, Analista de Negócios da Tecon, a Seagri é um parceiro valioso, que teve grande participação na implantação da linha direta com a China. Salles analisa que a operação de exportação em contêiner representa rapidez e economia.

Márcio Marques explica que, enquanto o embarque em navio graneleiro exige carga mínimia, (5 mil a 10 mil toneladas, a depender do tamanho da embarcação), não há exigência de carga mínima para a operação em contêiner, que pode ser concluída em até 12 horas. Esse tempo, em navio graneleiro, é muito maior, podendo chegar a uma ou duas semanas, segundo informações da Tecon.

Além disso, a operação traz vantagens para os produtores e para os compradores, como a facilidade na logística de distribuição, acesso a mercados alternativos e embarques semanais. O transporte por contêiner permite ainda que a exportação ocorra independentemente das condições climáticas e mesmo em períodos de entressafra.

Esta modalidade de exportação é ideal para clientes que tem a necessidade de comprar as commodities em menores quantidades, optando por maior freqüência nos embarques reduzindo os investimentos em estoque e limitando o envolvimento de vários intermediários, possibilitando a negociação direta com o produtor.

Com as informações – Midia News

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta