Petróleo no Pará – Ninguém fala nada…

6

Como já era esperado, nem a Petrobras e nem o Governo do Estado se manifestaram sobre a informação, por enquanto oficiosa, que dá como certa a viabilidade da exploração comercial de petróleo na costa paraense. A informação sobre o poço Harpia, perfurado no primeiro semestre deste ano pela Petrobras em frente a Salinópolis, em águas com profundidades superiores a cinco mil metros, foi noticiada em primeira mão no último domingo pelo jornalista Mauro Bonna, em sua coluna do caderno ‘Negócios’, do DIÁRIO.

Além da notícia veiculada por Mauro Bonna, há informações que vêm convergindo de fontes diversas para confirmar a viabilidade econômica de exploração dos depósitos de petróleo sabidamente existentes no litoral paraense. De qualquer forma, não existe ainda um anúncio oficial, o que só pode ser feito pela Agência Nacional de Petróleo. A Petrobras, uma companhia estatal de capital aberto, está enquadrada pelos rigorosos padrões de conduta adotados pelo mercado de capitais, cuja fiscalização é feita pela Comissão de Valores Mobiliários.

Consultada ontem sobre o assunto, a empresa que presta serviços de assessoria de imprensa à estatal em Belém limitou-se a responder, em mensagem lacônica, que a Petrobrás não tem porta-voz na capital paraense, devendo ela se reportar a Brasília para o atendimento de toda e qualquer demanda nesta área.

O Secretário extraordinário para assuntos de energia do Estado, Nicias Ribeiro, disse que não recebeu até hoje nenhuma informação sobre descobertas recentes de hidrocarbonetos na costa paraense.

Nicias assinalou que já se sabe, há muitos anos, da existência de petróleo no litoral norte, à altura de Salinópolis. “O que se tenta apurar, na fase atual da pesquisa, é se o volume de petróleo existente justifica ou não futuros investimentos em plataformas de produção”, disse ele. “E isso nós ainda não sabemos”, acrescentou.

EXPLORAÇÃO

Poço Harpia foi perfurado no primeiro semestre deste ano pela Petrobras em frente a Salinópolis, em águas com profundidades superiores a cinco mil metros.

VOLUME

O Secretário Nicias Ribeiro disse que já se sabe da existência de petróleo na costa paraense, mas que não se sabe se o volume justificaria futuros investimentos em plataformas de produção.

Com as informações – Diário do Pará

Por Rodrigo Cintra

6 COMENTÁRIOS

  1. É com muita satisfação , de saber que vamos produzir petrolio , trabalho em uma sonda de petrolio
    para águas ultrapofundas, e a mesma tem grande possibilidade de perfurar na costa paraense, ja que sou da terra , e moro no sul do país

  2. O Chato é saber que estão primeiro esperando o assunto dos Royalties se resolverem pra somente depois começarem a explorar. Ou seja: primeiro esperam consolidar os royalties existente para o Rio de Janeiro, SP e Espirito Santo.
    Assim, quando começarem a explorar no Pará, esse royalties serão repartido com todos os estados, inclusive RJ, SP e ES.
    Incrível como o Pará sempre perde!

  3. Tá reclamando de que? Seu estado quer fazer o meu perder e ir à falência. É um tiro muito bem dado no pé de vocês. Olha o que a ganância provoca!

Deixe uma resposta