Greve – 11 mil param no Estaleiro Atlântico Sul

4

Mais de 11 mil operários que trabalham no Estaleiro Atlântico Sul, em Suape, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, deflagraram greve na manhã desta quinta-feira (1°). Os trabalhadores têm uma lista de exigências extensa e afirmam que só voltarão ao trabalho quando as reivindicações forem cumpridas.

O Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Pernambuco, Alberto Alves, informou que vai tentar uma negociação direta ou com mediação do Ministério Público. “É possível ficarmos parados o dia todo. O movimento está muito radicalizado e a lista de exigências tem que ser cumprida. Só voltamos se negociarem”, afirmou Alberto.

Na lista de reivindicações, específica dos metalúrgicos do Atlântico Sul, está o plano de saúde nacional para todos os trabalhadores; ajuda de custos para todos, independente do salário; ganhar a insalubridade e o pagamento de horas extras.

Com as informações – JC

Por Rodrigo Cintra

4 COMENTÁRIOS

  1. fui obrigado a ver de perto as cenas de vandalismo e desordem que aconteceram ultimo dia 15 ,tenho plena certeza de que o caminho para para qualquer melhoria trabalhista não é esse. porem vi que a depredação dos ônibus e as pedras lançadas iniciaram-se logo depois dos tiros de bala de borracha do gás de pimenta lançados pela policia. quero deixar bem claro que todos que ali estavam eram trabalhadores que cobravam , igualdade salarial ,cesta básica e outros direitos assegurados por lei que o eas teima em não respeitar e onde o estado e o contratante (Petrobrás) fazem vista grossa, trabalhamos num local de grau de risco 04 e não há argumentos que venham a nos provar que não mereçamos insalubridade ou periculosidade já que é comprovado este risco é comprovado,somos constantemente chamados de cortadores de cana, aja visto que o estaleiro não planta cana somos sim soldadores,montadores e varias outras categorias de profissionais que merecem respeito e seus devidos direitos.

  2. eu acho que ja está na hora do presidente do e.a.s tomar uma atitude em relaçao a isto realmente todos os argumentos dos funcionarios tem fundamentos o nepotismo é o carro-chefe da empresa

  3. Nenhum jornal, muito menos na TV, foi dada a informação correta do que realmente aconteceu no E.A.S. Sou um dos funcionários porém não divulguei aqui o meu nome correto, mais vamos lá ao que realmente vim falar aqui ! Entramos em greve sim… e não foram apenas 800 trabalhadores foram muito mais, porem alguns estavam na linha de frente, algumas de nossas atitudes foram erradas na qual foram quebrados alguns dos coletivos da empresa, porem só aconteceu esse triste fato, quando os policiais da tropa de choque começaram a atirar bombas de efeito moral, balas de borracha e spray de pimenta nos trabalhadores que nem se quer estavam atentos ao fato, pois não estavam envolvidos em nenhuma situação de baderna ou algo parecido, apurando os fatos mulheres sendo obrigadas a correr para não ser atingidas por balas de borracha, sem conseguir respirar normal pois o efeitos das “armas frias” são terríveis, mais em nenhum dos jornais vi claramente o que realmente aconteceu e o verdadeiro motivo da greve ser gerado dessa maneira é que os diretores e presidente do estaleiro com toda certeza molham a mão dos nossos “amigos” do sindicato, pois nenhum deles se pronunciou no dia da greve, nem muito menos a diretoria do estaleiro sendo assim deixados abandonados os que nada deviam antes, porem todos correram de balas nas quais foram atiradas e direcionadas para todos trabalhadores, sendo assim com tudo isso acontecendo muitos trabalhadores no seu estado de revolta quebraram os coletivos e atiraram pedras e madeiras nos policiais. Eu estava lá e vi o que realmente aconteceu, policiais mandaram voltar, e acalmaram os manifestantes, sendo ordenado que todos voltassem para seus coletivos e assim estava sendo feito, porem outra tropa da policia Radio Patrulha já estavam no intuito de cercar e foi o que aconteceu, trabalhadores no meio do fogo cruzado, tendo que correr para dentro dos matos, do mangue e ate mesmo entrar em tubulações que estavam perto do acontecido, colegas de trabalho caindo e levando tiros, em um dos jornais eu li, que apenas uma pessoa tinha sido ferida, segundo o jornal um motorista, mais não tem como, pois só no momento que corri, vi dois de meus amigos serem baleados por tiros de borracha, mulheres desesperadas correndo e chorando, e todos sendo marcados por uma cena na qual jamais será esquecida por todos que lá vivenciaram essa triste e mais uma historia real que acontece no nosso querido e Ilustre, BRASIL ! Aqui deixo o meu verdadeiro e-mail para questionar com alguém qualquer coisa que aqui deixo escrito, sr_rocha_2020@hotmail.com

  4. Uma empresa que só nesta construção destes sete navios de perfuração, ira receber cerca de 5 bilhoes R$.(conforme divulgado).Isto graças aos seus funcionario,trabalhadores umildes e totalmente empenhados.è realmente um absurdo o EAS não pagar o que é LEI como: insalubridade,Horas extras.ISO É um total desrespeito.E nenhum orgão de comunicação ou mesmo judicial faz alguma coisa.E greve e toalmente apoiada nos deveres não cumpridos pelsa EAS.Que ainda mandou retalhar de forma arbitraria e covarde os trabalhadores que renvidicam os direitos garantidos na constituição referentes aa normas trabalhistas.

Deixe uma resposta