Abremar – Nota de esclarecimento sobre a Inspeção da ANVISA

0

Em respeito aos milhares de usuários brasileiros que, a cada Temporada, se motivam a adquirir pacotes de Cruzeiros, e cumprindo o seu dever de bem informar a imprensa e seu consumidor fiel, o turista de navios, a Abremar – Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos, vem a público prestar os seguintes esclarecimentos a respeito de aspectos e abordagens relativas aos Cruzeiros Marítimos:

1. Quanto ao Relatório de Inspeções em Cruzeiros Marítimos, divulgado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) durante o Encontro Anual de Avaliação da Temporada de Navios de Cruzeiro 2010/2011, ocorrido no Rio de Janeiro entre os dias 14 e 15 de setembro de 2011, a Abremar esclarece que as informações não podem ser abordadas de forma superficial e isolada, mas necessitam ser compreendidas na totalidade do relatório, que é extramente positivo para os Cruzeiros Marítimos.

2. Na realidade, a porcentagem de ocorrências na temporada 2010/2011 é de 0,09% do total de turistas transportados (792 eventos para 852.752 turistas, brasileiros e estrangeiros, que viajaram de navio) – índice abaixo do registrado para quaisquer locais com grande circulação de pessoas, como metrôs, ônibus, aviões, hotéis, piscinas, praias, cidades etc. Também deve-se levar em conta que quase 100% dos hóspedes de navios desembarcam nas cidades visitadas e consomem alimentos e bebidas em estabelecimentos que, em alguns casos, não seguem a mesma rigidez sanitária dos navios.

3. A Abremar, bem como suas associadas armadoras de navios, são as maiores interessadas em proporcionar navios saudáveis e viagens inesquecíveis. Somos parceiros da Anvisa em busca de melhores condições de viagens e é justamente por isso que, desde o início das inspeções da agência em Cruzeiros Marítimos, temos atuado lado a lado, auxiliando, inclusive, com suporte e conhecimento de causa, para a elaboração de um manual geral para cruzeiros.

4. Enfatizamos que todos os Cruzeiros Marítimos que chegam ao País, desde a primeira temporada (2004), passando pela temporada analisada pela Anvisa (2010/2011), e também da próxima temporada (2011/2012), obedecem a rígidas regras, controles e imposições determinadas por organismos internacionais, como o International Maritime Organization (IMO), com sede em Londres (UK), e o Centers for Disease Control and Prevention (CDC), em Atlanta (USA), que mantém programas de controle médico e sanitário dirigido a passageiros de navios.

5. Além disso, a Anvisa inspeciona todos os navios de cruzeiros desde quando entram em território nacional até a sua saída do país. Fiscaliza anormalidades clínicas e condições de todos os serviços e efetua reinspeções para verificar o cumprimento de medidas sanitárias consideradas indispensáveis para garantir a segurança da operação. A Anvisa comunica imediatamente, quando necessário, à autoridade sanitária do destino da escala qualquer suspeita ou evidência de evento de saúde pública.

6. Adicional a todas essas medidas, as companhias armadoras cuidam de todos os elementos relacionados à prevenção e todos os navios possuem sistemas complexos de tratamento de água, descarte e reciclagem de lixo, tratamento de efluentes, segurança ambiental, além de sistemas eficazes de controle alimentar e certificações que atestam sua alta qualidade.

A Abremar espera, dessa forma, ter esclarecido e evitado que seja adotado tom espetaculoso e sensacionalista para o caso e, juntamente a suas associadas, se coloca à disposição da imprensa para prestar todas as informações e sanar, pessoalmente, em um dos navios da temporada, qualquer dúvida que ainda possa restar.

Com as informações – ABREMAR

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta