Ibama emite licença para perfuração na Foz

0

O Ibama emitiu na última sexta-feira (9/9) a licença prévia para a perfuração do prospecto de Oiapoque, programado pela Petrobras para a área do bloco exploratório  BM-FZA-4, na Bacia do Foz do Amazonas. A licença é válida até 9 de setembro de 2012. Para a emissão da licença de operação, a petroleira terá que cumprir solicitações feitas em parecer técnico do órgão ambiental.

Entre as exigências do Ibama está o pagamento de R$ 50 milhões a título de compensação ambiental pela campanha na área. O valor, que é fixado pelo próprio órgão ambiental, é o mesmo custo estimado pela Petrobras para a perfuração do poço.

O cronograma da área de E&P da Petrobras prevê que a campanha exploratória será realizada pela semissubmersível Ocean Whittington (SS-52), da Diamond Offshore, ou pela Alaskan Star (SS-39), da Queiroz Galvão Óleo e Gás. Todo o trabalho, contando a mobilização e desativação, durará oito meses. O poço será perfurado em lâmina d’água de 150 m, a 110 km da costa do estado do Amapá.

A área do BM-FZA-4 possui hoje 1.964 km² de sísmica 3D mapeados. Nenhum poço, contudo, foi perfurado no bloco pela empresa, que possui 100% da concessão. O bloco é hoje o único bloco sob concessão na bacia. A Petrobras já devolveu nove células do bloco e  continua com apenas duas no primeiro período exploratório.

O apoio em terra para as atividades de perfuração na Bacia da Foz do Amazonas será feito na base da Petrobras em Tapanã, Belém. Com uma área total de 230 mil m², a base está localizada às margens da Baía do Guajará.

Fonte: EnergiaHoje

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta