Pré-sal – novos sistemas para a Petrobras na Bacia de Santos

2

O avanço da exploração do pré-sal da Bacia de Santos deverá elevar o número de sistemas em operação no local dos atuais três para 19 frentes em 2017, das quais 17 sistemas definitivos. Com isso, a produção estimada no pré-sal da Bacia de Santos dentro de seis anos deverá alcançar 1 milhão de barris diários de petróleo, segundo o Gerente Geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos da Petrobras, José Luiz Marcusso. Somando também as operações no pós-sal, a capacidade total da Bacia de Santos deverá subir para aproximadamente 1,2 milhão de barris diários de petróleo. Ambas as projeções consideram a produção da Petrobras e de parceiros que também operam na região. 

As operações no pré-sal da Bacia de Santos ao longo dos próximos anos serão compostas pelas atividades de cinco FPSOs (navios-plataformas), oito navios replicantes e quatro unidades em operação na área cedida pela União no acordo de cessão onerosa negociado no ano passado no processo de capitalização da Petrobras. O planejamento atual também inclui dois navios, que já realizam testes de longa duração (TLD) na região e serão responsáveis por um total de 20 TLDs até 2015. As atividades da Petrobras no pré-sal da Bacia de Santos são compostas atualmente por três sistemas, dos quais apenas um em definitivo, no campo de Lula (antigo Tupi). Outros quatro sistemas, voltados principalmente para a exploração de gás natural, também operam no pós-sal da região, totalizando sete sistemas em operação neste momento na Bacia de Santos.

As atividades em Lula ainda são restritas, com operação em um único poço. A capacidade no local é de 28 mil até 29 mil barris diários de petróleo, segundo Marcusso. O escoamento de gás atualmente está em 700 mil metros cúbicos diários e na sexta-feira passada a primeira molécula de gás natural do campo de Lula chegou a Caraguatatuba, de onde o insumo será distribuído para atender o sistema da estatal. A próxima etapa de exploração de Lula, realizada a partir do FPSO Cidade de Angra dos Reis, ocorrerá com a interligação de três outros poços a Lula, que deverá ocorrer até o final deste ano e resultar em capacidade para produzir até 80 mil barris de óleo por dia.

Ainda no pré-sal, a Petrobras opera dois navios plataformas focados em atividades de testes, chamados de Cidade de São Vicente e Dynamic Producer. O primeiro está produzindo em Lula Nordeste, em um total de 15 mil barris por dia – volume limitado devido a restrições à queima de gás. Já o FPSO Dynamic Producer (Ventura Petróleo) testou Guará e está em movimentação para Carioca, um complexo situado ainda em território paulista. “A previsão é que em outubro já tenhamos produção do Dynamic Producer e segundo teste de longa duração dessa área, no caso Carioca”, explicou Marcusso, que participa nesta terça-feira do Fórum de Ciência e Tecnologia, Pesquisa e Inovação, Gás na Economia 2011, realizado em Santos (SP).

Com as informações – André Magnabosco/ Agência Estado

Por Rodrigo Cintra

2 COMENTÁRIOS

  1. TESTEMUNHO CONPETRO
    A primeira vez que ouvir falar o nome do Dr. José Sérgio Gabrielli de Azevedo, foi logo após o mesmo assumir a diretoria financeira da PETROBRAS. Naquele instante, tinhamos um encontro na presidencia da Companhia, com um querido amigo, o Dr. Mário Lima. Dr. Mário Lima, foi o primeiro funcionário da PETROBRAS, a assumir em 1 de setembro de 1954. Portanto era o mais antigo, foi Deputado Federal, com brilhante atuação, como representante do estado da Bahia. E naquele instante, ele disse essa frase, a qual nunca mais a esqueci: “Esse bahiano, o José Sérgio Gabrielli, é um homem honrado, de muito valor e competência. Ele vai fazer história. Você vai ver”. O Dr. Mário Lima, quando faleceu, o Dr. José Sérgio Gabrielli, já era Presidente da Companhia. Mas nunca esqueci as palavras proféticas do MÁRIO, meu querido amigo. E hoje, a cada vitória apresentada pela PETROBRAS em sua gestão, me vem a mémoria a lembrança desta frase. Portanto para nós da CONPETRO, que vivenciamos os constantes desafios vividos para alcançarmos as vitórias para a implantação de cada novo projeto, de cada nova fase, de cada meta. Podemos aqui testemunhar a competência, o valor, a coragem e horadez determinada, desse nosso querido brasileiro que se chama JOSÉ SÉRGIO GABRIELLI DE AZEVEDO. E portanto fazemos esse reconhecimento público dos seus valores como homem público e gestor que é a frente dos destinos da nossa PETROBRAS, hoje reconhecidamente uma das maiores empresas do mundo. O Brasil teve tres grandes nomes na história do Petróleo: Monteiro Lobato, que era Paulista, o nosso Presidente Getúlio Vargas, que criou a nossa PETROBRAS, e José Sérgio Gabrielli de Azevedo, que com a sua visão de estadista que é, fez o Brasil conquistar as nossas riquezas do Pré-Sal.
    MARCÍLIO NOVAES MAXXON Presidente da CONPETRO
    CONPETRO – Confederação Nacional do Petróleo, Gás Natural,
    Biocombustíveis e Energias Renováveis
    http://www.conpetro.com.br

  2. Realmente o Baino Sérgio Gabrielli é um homem muito peitudo e corajozo diante de muitos problemas mesmo assim ele envestio na Petrobrás acreditando no potencial da empresa.

Deixe uma resposta