Posicionamento Dinâmico e Controle de Lastro: Primo rico, primo pobre.

7
860

Assim como Paulo Gracindo e Brandão filho no antigo programa “Balança mas não cai”, são as áreas de Dynamic Positioning (Posicionamento Dinâmico) e Ballast Control (Controle de Lastro). Enquanto uma é a menina dos olhos a outra é…bem…a outra.

Tratam-se de duas funções feitas para oficiais de náutica e que, de formas diferentes, buscam o mesmo objetivo: estabilizar a plataforma. No entanto, parece que a carreira de BCO (Ballast Control Operator – Operador de Controle de Lastro) está sendo cada vez mais deixada de lado, enquanto que o foco está no cargo de DPO (Dynamic Positioning Operator – Operador de Posicionamento Dinâmico).  Para saber o porquê disso tudo, como sempre, entrevistei algumas pessoas que me disseram o seguinte:

O embarque como BCO não conta tempo na CIR (Carteira de Inscrição e Registro). Na hora de homologar os embarques junto à Diretoria de Portos e Costas, nas Capitanias dos Portos, esta não os reconhece, fazendo-o apenas quando a função do Oficial de Náutica é outra. Aí, como o controle das capitanias neste sentido é bem falha, muitos oficiais dão o famoso “gabirote” e registram em suas carteiras o embarque de BCo como se fosse de Oficial de Quarto. Os embarques como DPO são reconhecidos pela DPC, ganhando a carreira de BCO por um a zero.

CIR: Adulterações ilícitas para considerar tempo de embarque como BCO

O tempo de embarque registrado na CIR é importante para o futuro, quando o Oficial quiser ou precisar “cambar de carteira”, pegando a carta de primeiro oficial. Por este motivo, muitos pilotos fogem do controle de lastro e buscam ser Operadores de Posicionamento Dinâmico.

Os salários para a função de BCO, apesar de serem altos, são razoavelmente mais baixos que os da função de DPO. Além disso, muitas plataformas fizeram do controle de lastro uma segunda atribuição do DPO. Sendo assim, podemos dizer que a função de BCO simplesmente acabou em algumas unidades.

A carreira de DPO oferece salários melhores, uma perspectiva promissora como carreira e tempo de embarque. Por não ter estes diferenciais, a função de BCO está perdendo seus profissionais mais indicados, que são os Oficiais de Náutica.

Reflexos

São alguns os impactos provocados por esta situação. A procura cada vez maior acabou congestionando as contratações para DPO – ou seja – está cada vez mais difícil para os pilotos conseguir a colocação como DPO. Por outro lado, as empresas estão contratando profissionais de formação inferior para serem BCO. Isso tem um lado bom e um lado ruim. Vejamos:

O lado bom é que se abre um mercado para que profissionais de outras áreas, via curso técnico de BCO, possam ingressar em plataformas ganhando um salário razoável, que, segundo fontes, gira em torno de 50% do que seria pago a um Oficial de Náutica. Além disso, as empresas estão capacitando profissionais da função Motorman para ocupar estas vagas. Isto representa uma nova possibilidade de ascensão para vários marítimos.

O lado ruim é que ambas as funções são de importância crucial numa plataforma, e o controle de lastro não pode correr o risco de ser feito por profissionais desqualificados. Isso colocaria toda a plataforma em risco grave, colocando milhões de vidas e dólares em jogo.

Dúvidas

Por que diabos o embarque como BCO não é reconhecido pela DPC? Não se trata de um embarque como outro qualquer? Será que realmente é vantagem para as empresas rebaixarem a qualificação dos operadores de lastro? 

Na minha modestíssima opinião, acho que o mais sensato seria o Posicionamento Dinâmico englobar aos poucos o Controle de Lastro. Acho que, desta forma, a função de BCO não perderia a atenção que merece e seria aos poucos reinventada pela tecnologia. Do contrário, este papel vital no funcionamento das plataformas será sucateado, podendo gerar sérios prejuízos no futuro. 

Um forte abraço, pessoal, e até segunda-feira!

Por Marcus Lotfi

7 COMMENTS

    • Sr: Thiago o curso BCO é feito no ICN ,intituto de ciencia nautica e custa uma nota , o certificado só é entregue apos realizado estagio supervizionado ,

      • Muito grato pela atenção sr Newton Santos, ja haviam me avisado que o custo poderia ser alto, porem eu vejo como um investimento.
        Ja que pessoas pagam de 70a 100 mil para serem pilotos de helicoptero,e recebem quase a mesma ou ate menor remuneração, que a de oficiais da marinha mercante.
        Desde ja agradeço a sua atenção amigo, vou procurar no ICM as informações sobre o curso.

Deixe uma resposta