FPSO da OSX chega no Brasil

5
182

O FPSO OSX-1, a primeira unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de óleo e gás a integrar a frota da OSX, chega ao Rio de Janeiro nesta quinta-feira, dia 6, concluindo com êxito a sua viagem de Cingapura para o Brasil. O trajeto teve a duração de 45 dias, conforme antecipado pela Companhia. 

Afretado pela OGX pelo prazo de 20 anos, o destino do FPSO OSX-1 será a acumulação de Waimea, na Bacia de Campos, onde a unidade dará início ao processo de produção do primeiro óleo de seu cliente âncora. 

A unidade foi construída na Coréia e customizada em Cingapura pelo estaleiro da Keppel. O OSX-1 tem 271,75 metros de comprimento e capacidade de armazenamento de até 900 mil barris de petróleo. 

Nos próximos dias, o FPSO OSX-1 passará por procedimentos obrigatórios junto às autoridades brasileiras competentes. Cumprida esta etapa, a embarcação estará em águas abrigadas no Rio de Janeiro, para deslocamento rumo ao campo de produção, na Bacia de Campos. 

“A equipe da OSX compartilhou com muito orgulho a rotina dessa viagem pioneira, através do hotsite do FPSO OSX-1. Para nós, a chegada ao Brasil dessa embarcação representa dois marcos inaugurais. Entregamos a unidade de produção que produzirá o primeiro óleo de nosso cliente âncora OGX. E, ainda, inauguramos a frota de unidades offshore da OSX, que será composta por dezenas de unidades similares na próxima década. A frota de produção da OSX será instrumental para a transformação de nosso País em um dos maiores produtores de petróleo do mundo, abrindo um horizonte de oportunidades para as futuras gerações de brasileiros!” afirmou Luiz Eduardo Guimarães Carneiro, Diretor Presidente da OSX.

Por Milena Calado / Redação

5 COMMENTS

  1. Quem esteve na baía de guanabara hoje presenciou um verdadeiro teatro: É só a FPSO do Eike Batista chegar pra fundear que a MB bota fragatas, corvetas e helicópteros, monitoramento do tráfego pelo VHF em conjunto com a praticagem. Brasil: um país de tolos!

    • O Eike investe bastante em Marketing, com certeza.
      Já a respeito do monitoramnto, acredito que seja pelo tamanho e limitações de manobrabilidade da unidade.
      Em relação à MB, realmente é um item estranho. Será que essas unidades da MB já não estavam lá? O que rolou? Escolta?
      Mantém a gente informado, Fróes, e obrigado por participar.

  2. Nao sei dar muito mais detalhes nao cara, tambem fico com medo de retaliacao da MB!!! rs

    so posso te dizer que nao foi escolta, manobrabilidade? talvez… mas nao acredito que o marketing seja do Eike, e sim a MB tentando tirar vantagem da situacao pra aparecer operacional na midia

Deixe uma resposta