Tudo nosso – Eike parte voraz pra cima da Anadarko

0

Às vésperas de iniciar a produção na acumulação de Waimea (BMC-41), na Bacia de Campos, a OGX, petrolífera do empresário Eike Batista, anunciou que as descobertas da empresa nos dois últimos anos, no Brasil, já asseguram a maior parte da meta de produção projetada para 2015, de 730 mil barris por dia.

Diretor-Geral da empresa, Paulo Mendonça admitiu ainda que analisa a possibilidade de adquirir áreas colocadas à venda, no Brasil, pela americana Anadarko.

As áreas, revelou o executivo, foram oferecidas nas últimas semanas por executivos da própria companhia estrangeira.

Mendonça lembrou que, além da produção de Waimea, que começa entre novembro e dezembro deste ano, a OGX realizou descobertas promissoras, nos últimos meses, como na acumulação de Natal, na Bacia de Santos.

Localizado no bloco BMS-29, o prospecto apresenta perspectiva de reservas de 5 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.

A expectativa com o projeto é tamanha, de acordo com Mendonça, que técnicos da companhia já estudam opções de transporte para escoamento do gás na região.

Com relação a Waimea, cuja produção depende do início da operação da plataforma OSX-1, construída em Cingapura, o executivo revelou que a expectativa inicial é de extrair uma média de 20 mil barris por dia de petróleo nos primeiros cinco meses de operação.

A partir daí, deverá produzir uma média de 45 mil a 55 mil barris por dia. A unidade produtora de óleo da OSX, que chegou ao Rio de Janeiro na quarta-feira (5/10), deverá chegar em uma semana à área de Waimea.

Pelo cronograma da companhia, em 2012, com a chegada de uma segunda plataforma, a OSX-2, a OGX iniciará a fase 2 de Waimea.

Com as informações – Brasil Econômico

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta