Edison Chouest vai se instalar em Itapemirim / ES

6
159

De olho nos investimentos no Litoral Sul do ES, a cidade de Itapemirim se prepara para receber a sua fatia do bolo. Nessa segunda-feira (17) foi decretada a desapropriação em caráter de urgência de uma área de mais de 90 mil metros quadrados na região para atender a demanda de investimentos de uma empresa norte-americana que pretende instalar, na Praia da Gamboa, uma base de operações logísticas offshore.

O ato se configura em um passo para que a cidade possa receber uma base de apoio do grupo estadunidense Edison Chouest Offshore, que atualmente possui 114 empresas e atua em sete países. O investimento da empresa no Litoral Sul capixaba gira em torno de R$ 300 milhões e a expectativa é de geração de mais de 450 empregos diretos.

Entre as justificativas para a desapropriação de três terrenos, a Prefeita, Norma Ayub, afirma no decreto que a decisão foi tomada considerando que a área é de utilidade pública. “Esta é a hora para ação rápida para o município não perder oportunidades de crescer e gerar renda”.

Mas para realizar o investimento, umas das condições do grupo é que os governos municipal e estadual dêem em contrapartida o terreno e a infraestrutura, além do licenciamento ambiental. Ou seja, a cidade doará esses terrenos – já licenciados – para que o empreendimento seja realizado.

Grupo já investe no país

O Grupo Edison Chouest Offshore, fundado em 1960 na cidade de Galliano, nos Estados Unidos, já tem uma base de atuação em Niterói e um estaleiro em Santa Catarina. No Estado, a empresa pretende instalar uma base para continuar atendendo empresas como Petrobras, Shell, Chevron e Anadarko, além de fazer reparos em embarcações.

A base de Itapemirim deverá oferecer todos os serviços para as operações de petróleo e gás, como área para armazenamento coberta e descoberta, manuseio de materiais, combustíveis, água, lubrificantes, materiais utilizados na perfuração como cimento, barita e demais fluidos e limpeza dos tanques das embarcações.

Com as informações – Ana Paula Santos / a Gazeta

Por Rodrigo Cintra

6 COMMENTS

  1. Que venha uma empresa séria, e que que a prefeitura peça em troca de todas as facilidades, que a mesma qualifique e contrate mão de obra local, pois só assim teremos certeza da geração de emprego e renda para a região.

  2. Muito Bom, mas concordo com a idéia do amigo Marcos, que nós tenhamos qualificações profissional pela Empresa ou pelo Governo Estadual ou Municipal, para poder existir uma Lei Municipal que a “mão de obra seja do próprio município”, só assim geraríamos emprego e renda no nosso município.

  3. òtimo, pouco importa de onde vem e que nacionalidade tenha, concordo plenamente com o Marcos. Precisamos de progresso com sustentabilidade.

  4. A despeito do que aconteceu com Navegantes-SC,este municipio so tem a ganhar,pois de la (Navegantes),vem muita mao de obra para ocupar vagas na empresa e ainda bem que nao e atraves do poder publico pois se nao nos ja sabemos como funciona.
    Sds.

Deixe uma resposta