Guardas Portuários: AGPERJ dá entrevista exclusiva ao Portal Marítimo

26
520

Em virtude do fim do ano, esta entrevista demorou um pouco, mas a AGPERJ, Associação dos Guardas Portuários do Estado do Rio de Janeiro, atendeu nosso pedido e o Presidente Ange Biniou deu ao Portal Marítimo, em primeira mão, uma entrevista exclusiva sobre a polêmica do último concurso para o cargo e muito mais. Confira!

Bem, em primeiro lugar, qual a posição da AGPERJ em relação ao imbróglio envolvendo o último concurso para Guarda Portuário?

A posição da AGPERJ é a mesma em relação aos concursados, ou seja, de total insatisfação ao processo que vem sendo adotado neste último concurso. Se uma empresa abre um concurso para cadastro de reserva é por que, no mínimo, prevê uma necessidade futura de novos funcionários. E a própria Cia Docas já provou essa real necessidade ao publicar edital de convocação de vigilância terceirizada.

Qual a opinião da AGPERJ em relação ao défcit de Guardas Portuários nos portos brasileiros e, especificamente, no porto do Rio?

Infelizmente só se pensa em segurança depois da “casa arrombada”. Com a GP não poderia ser diferente. Somente somos tolerados por conta da lei, senão seria tudo terceirizado. Apenas como ilustração, do ultimo concurso para os que já estavam na GP, há um “buraco” de quase 20 anos. Precisou acontecer aquela tragédia das Torres Gêmeas para a “fênix” ressurgir das cinzas. A Guarda Portuária é uma instituição criada por lei. Sua função vai muito além de segurança, policiamento e fiscalização nos portos brasileiros. Sua atuação é de tal importância que lida diretamente com área de fronteira internacional. Toda carga ou passageiros de navios estrangeiros que passam pelos portos brasileiros estão subordinados à segurança e fiscalização da Guarda Portuária. Diversas áreas nos portos do Rio de Janeiro deixam de ser cobertas pela Guarda Portuária por falta de material humano e aquelas que estão cobertas não tem a quantidade necessária considerada como ideal.

Na opinião de vocês, por quê os aprovados ainda não foram chamados, uma vez que está nítida a necessidade de mais Guardas Portuários em efetivo serviço?

Devido a Cia DOCAS ter ocupado as vacâncias da GP, colocando pessoal da
administração como engenheiros, administrativos, etc. (vide as convocações dos outros cargos deste concurso em relação à Guarda) voltando a preencher o efetivo total da Empresa, desprezando os diversos apelos de superintendências passadas para o devido preenchimento das vagas. Portanto, hoje, a DOCAS somente admitirá os concursados em havendo novas vacâncias ou ficando pronto o novo plano de segurança, cujo edital está em vias de ser publicado no diário oficial, onde obrigatoriamente constará o efetivo total. O qual terá que ser cumprido. Todos os ofícios enviados pela AGPERJ à diretoria da Cia Docas do Rio de Janeiro solicitando a contratação de novos concursados foram respondidos com a justificativa de aguardo da criação de um novo Plano de Segurança para definir o efetivo necessário na Guarda Portuária do RJ. O problema é que essa burocracia vem se prolongando a um bom tempo. A contratação desses concursados é uma gestão da empresa e o último concurso foi de cadastro de reservas. O que não iremos admitir é que a empresa contrate serviço de segurança terceirizada sem antes chamar todo o banco de aprovados do último concurso em vigor.

Ange Biniou: "AGPERJ não vai admitir serviço terceirizado"

Entre nossos leitores, houve quem disse que não era interessante para os Guardas Portuários a entrada dos aprovados, por conta do acúmulo de gratificações por horas extras. Isso é verdade? Qual a posição da AGPERJ a respeito desta acusação?

Isto é uma inverdade. Hoje, a Guarda Portuária do Rio de Janeiro trabalha numa escala de 12×24, 12×72. Tanto que os novos seis colegas recém chegados já estão trabalhando nessa mesma escala. A Guarda Portuária do Rio de Janeiro não faz horas extras além da necessária que corresponde a 1 (uma) hora de rendição por cada troca de plantão e essa hora é justificada para a realização de deslocamento dos postos até a sede. A política atual da empresa não permite a realização de horas extraordinárias. Portanto a contratação de novos concursados não modifica em nenhuma hipótese a remuneração dos Guardas Portuários do quadro atual. Ao contrário dessa falsa acusação, a expectativa de toda a categoria é pelo preenchimento o mais rápido possível dessa vacância, desonerando, dessa forma, o trabalho de quem tem que se desdobrar para cobrir esse déficit.

O que a AGPERJ planeja fazer em relação a esta situação?

Como se sabe, o concurso foi para cadastro de reserva, o que gera para o concursado uma mera expectativa de direito. Porem, a DOCAS, ao publicar em diário oficial um edital de convocação de empresa de vigilância armada, evidenciou a carência de pessoal, comprovando a necessidade, o que deixou de ser mera expectativa. Como já dito, a atual gestão da AGPERJ vem alertando a empresa da real necessidade de novos funcionários. Porém a convocação ou não dos concursados é uma gestão da empresa. O que é ilegal e não permitiremos é a contratação de serviços terceirizados de segurança para atuar nos portos e patrimônios de Docas uma vez que há concurso para Guarda em vigor. Elaboramos documento e enviamos ao TCU denunciando a irregularidade dessa terceirização. Estamos encaminhando também esse documento ao Ministério do Trabalho e Ministério Público. Estamos realizando trabalho junto aos concursados manifestando todo tipo de apoio e agindo em prol da convocação deles e vamos tomar todas as medidas necessárias para inibir tais irregularidades.

Tirando o foco do concurso dos GP’s, qual a missão da AGPERJ e quais as questões com as quais a associação está envolvida atualmente?

A função principal da AGPERJ, como o próprio nome já diz, é zelar pela parte social dos Guardas Portuários. Porém sua atuação vai muito além dessa função. Nosso comprometimento é com a Guarda Portuária de um modo geral. Agimos na defesa de seus integrantes e da Instituição, no bem estar da categoria, nos interesses e anseios da Guarda Portuária. Temos também um importante papel a nível nacional. A Guarda Portuária do Rio de Janeiro é vista como referência no Brasil. Muitas de suas lutas visam beneficiar a Guarda Portuária não só do Rio de Janeiro, mas de todo o Brasil. Entendemos que só unindo todas as Guardas Portuária conseguiremos a força necessária para alcançar nossos objetivos. A AGPERJ vem realizando um excelente trabalho em Brasília na aprovação de Projetos de Leis os quais todas as Guardas Portuárias estão envolvidas, como é o caso do PL 454/11 (PRONASCI), PLC 87/11 (Estatuto do desarmamento), PEC 59/07 (Polícia Portuária Federal), entre outras. Além disso, ainda temos um projeto de criar a unificação da Guarda Portuária, a nível nacional, dentro da SEP.

O que falta aos GPs hoje e o que já foi conquistado?

Todas as nossas conquistas são frutos do trabalho não só da AGPERJ, mas de toda a Guarda Portuária. Todo trabalho feito pela AGPERJ é realizado com a colaboração de toda categoria. Nossa maior conquista está em todo o apoio em nós depositado. A categoria está unida. Todos colaboram de diversas formas, atuando, sugerindo, incentivando. Zelamos pela transparência de nosso trabalho e procuramos informar a categoria sempre sobre a verdade dos acontecimentos. Tivemos um ótimo ano. Obtivemos importantes vitórias em Brasília, manifestamos nossos anseios junto a Cia Docas e a SEP, realizamos excelente trabalho em nossas negociações coletivas, atendemos diversos anseios da categoria. Ainda temos muito trabalho pela frente. É só o começo.

Agradeço imensamente à AGPERJ em nome do Portal Marítimo pela prontidão em nos atender e esperamos estar sempre em sintonia com os interesses dos nossos leitores, favorecendo o livre debate para, desta forma, contribuir na construção de um cenário melhor para aqueles que atuam no mar, nos portos e nas plataformas.

Por Marcus Lotfi

26 COMMENTS

  1. Com imensa satisfacao que venho agradecer ao Sr Marcus Lotfi pela entrevista com o presidente da AGPERJ. A desilusao que era grande se renova com a esperanca…de um dia ser Guarda Portuario,foi para isso que estudei tanto e isso o que eu quero…so tenho uma coisa a dizer: Muito obrigado!..seu interesse em nos esclarecer. Bons ventos soprando.,,,,nada sera em vao..

  2. Olá!
    Obrigada, de verdade, pelo interesse na entrevista, Marcus Lotfi, e pela disposição da AGPERJ em esclarecer tudo sem rodeios. Isso é um respeito à nós, concursados, que estamos aqui há pelo menos um ano, aguardando respostas e providências da Cia. Docas em vão, já que nem uma justificativa fundamentada nos é dada, perante a evidente necessidade de GP’s, a insensata contratação de terceirizados e a demora com que as coisas acontecem, quase que ignorando a realidade. É um absurdo explícito aos olhos de todos, e mesmo assim nada acontece, fazendo alguns desacreditarem e perderem as forças. Mas agora não, é esse tipo de coisas que nos enchem de esperança de que as coisas realmente podem acontecer nesse país.

  3. Muito obrigado pela atenção dispensada a nós concursados e aos assuntos referentes a Guarda Portuária!
    Você conseguiu em pouco tempo as respostas que nós tanto ansiávamos para termos renovadas nossas esperanças.
    Parabéns pelo excelente trabalho!

  4. marconi: muito obrigado pela as respostas que nos renova as nossas esperanças. parabens pelo excelente trabalho.um feliz natal para todos.

  5. Parabenizo pela entrevista, pois toca em pontos importantes para nós concursados, tal como o verdadeiro x desta questão:”por quê os aprovados ainda não foram chamados, uma vez que está nítida a necessidade de mais Guardas Portuários em efetivo serviço?” Desde a abertura do concurso já havia a necessidade de pelo menos 67 guardas, conforme entrevista publicada na época, o que motivou o grande número de inscritos para o concurso! Um ano depois o que sempre ouvimos como resposta da companhia é que só haverá convocação havendo vagas ou “conforme a necessidade”. Necessidade agora mais do que comprovada com essa tentativa de contratar vigilância terceirizada!
    “Porém a convocação ou não dos concursados é uma gestão da empresa”. Como pode os interesses de gestão se sobrepor aos interesses de um companhia de tamanho porte e tamanha importância? No mínimo, essa vagarosidade em resolver as coisas compromete o bom andamento do serviço e sobrecarrega os profissionais que lá estão trabalhando!
    O que está faltando para a publicação desse novo plano de segurança,que nunca fica pronto? Vontade política?

  6. Desde a concepção deste Portal, nossa idéia foi esta: a de fazer da informação um serviço. Portanto, é servindo que conquistamos nossos espaços e nossos leitores. Fico muito feliz em saber que fiz um bom trabalho e me agrada muitíssimo colher os louros disso em agradecimentos e elogios de vocês. Isso só me dá forças para continuar e continuar fazendo deste sítio um lugar democrático e contribuinte para que nosso cenário só evolua!
    .
    Mas que presente de fim de ano!
    .
    Muito obrigado, amigos!

  7. Parabéns ao nosso presidente Biniou pela entrevista sincera. E parabéns também ao site pelo espaço dado para a Guarda Portuária. E ao colega Douglas, os portuários de um modo geral são uma classe politizada e é natural que surjam discordâncias e subgrupos com interesses específicos dentro desse contexto político. Faz parte da democracia.

  8. Tudo o que eu posso dizer é que os concursados estão com a faca e o queijo na mão, agora mais do que nunca, só que a maioria é inerte e se prendem em assistir as coisas não acontecerem, ficam dependendendo de uns poucos colegas, da Associação e do acaso. Um mandado de segurança agora colocaria qualquer um dentro da GP, do 9º até o 8000º, quem chegar primeiro pega uma vaga que correseponda a vacância do último concurso. Manadado de Segurança é muito caro, mas no contexto da GP é tiro certo. Se ninguém tem disposição pra correr atrás é melhor procurar outro concurso pq ja passou muito tempo e a vida é curta.

  9. Gostaria de deixar um comentário de agradecimento a esse veículo de informação e de transparência a favor do Porto do Rio.Parabéns. Também parabenizo ao presidente da Associação da Guarda Portuária pelo seu empenho e luta por melhorias na segurança pública portuária.A todos voces um feliz 2012 e conte conosco pois a causa é legítima e legal.
    Att. Douglas Fidelis Pereira.

  10. Ao Marcos Lotfi e toda a sua equipe do portal os meus parabéns e também a minha gratidão, pois esta entrevista com a AGPERJ foi esclarecedora e renova minhas esperanças.
    Sucesso ao Portal Marítimo e a todos nós concursados GPs!!!

  11. O que mais me revolta, é isso que a CDRJ está fazendo, nenhum diretor nenhum funcionário ninguém se pronuncia sobre essa questão de convocarem 6(seis) guardas para fazerem serviços de aux. administrativos porque é isso que eles estão sendo no momento pois não tiveram curso de segurança nem curso de nada, isso é uma afronta a quem se dedicou e acreditou nesse concurso espero que para o ano vindouro, eles ao menos deixem de serem covardes e nos deem ao menos uma explicação, pois por mais que o concurso foi para cadastro de reserva, eles tentando contratar empresa de vigilancia terceirizada, ao menos uma explicação eles teem o dever de nos dar, ou eles pensam que no nosso país isso que eles estão fazendo não é nada? Vocês mesmo do portal maritimo já puderam comprovar isso, quando tentaram contato com eles, simplesmente não atendem, se acham acima de qualquer coisa. Essa minha mensagem não é de afronta pessoal a ninguém, somente indignação do que temos sofrido a 1ano e meio, mais uma vez meus agradecimentos a equipe do portal maritimo que abraçou a nossa causa, feliz ano novo a todos e torço para que no ano de 2012 alguma coisa aconteça a respeito desse concurso que tem deixado muitas pessoas de bem, aflitos e revoltados.

  12. fiquei contente com essa entrevista,da muita esperança aos concursados,no meu caso por exemplo , a minha colocação ficou um pouco distante,mas fico feliz por dar esperança a aqueles que estão na primeira colocação,é mas que justo chamar os concursados que ja estão na espera a mas de 1 ano e meio.

  13. É de grande valia esse trabalho, estao de parabens.
    Teve um companheiro que tocou num assunto
    interessante,em relaçao ao pronunciamento da
    compania docas em relaçao ao assunto.Bem que
    um representante da cd rj poderia manifestar se,
    emitindo um parecer ou uma opiniao.Fica a
    sugestao ao nosso amigo Marcos.

  14. Sobre as convocacoes para Guarda Portuario dependerem da formulacao do plano de seguranca existe uma empresa elaborando o referido ..os senhores poderiam por favor verificar atraves desse excelente canal em que estagio esta a confeccao do plano..para que nos concursados tenhamos alguma esperenca em entrar para Guarda Portuaria..atenciosamente.

  15. boa noite, me chamo Carlos fiz o concurso da guarda estou aprovado quero trabalhar e nao aguento mais a demora ea incerteza convoca DOCAS RJ!!!!!!!!!!!!!!! SOU O 312 NA CLASSIFICAÇÃO , LUTE POR NÓS SENHOR ANGE BINIOU E CONTRA ATERCEIRIZAÇÃO DA GUARDA FIQUE COM DEUS !!! DEUS LHE ILUMINE E NOS PROTEGE!!! AMÉM!

  16. Bem sou a 26ª colocada no concurso para guarda portuária (segunda colocada mulher). O mesmo que o Major Hugo afirmou com todas as letras, que havia 69 vacâncias e no mínimo 18 convocações seriam para as mulheres (tenho a matéria publicada no jornal com a declaração do Major citado). Ocorre que nossas convocações estariam dependendo de um plano de segurança, e já chegou aos meus ouvidos que tal plano já terminara, e que NÃO CONTEMPLARÁ O AUMENTO DE EFETIVO DA GUARDA PORTUÁRIA. Haverá sim a contratação DE VIGILANTES. Decepcionada, despeço-me de mais uma peça desse teatro chamado “b”rasil.

  17. Fui GP 792 a vinte tantos anos atras parece que nao mudou nada injusticas arbitraiedades,fui demitido sem Portuari.. Guarda .hoje vivo a 24 anos na Alemanha,mais a injustica ainda doi devo lembra que hoje sei que um advogado teria me readmitido na epoca nao sabia nada.covardia era e e prato do dia na Honrosa,Carlos Roberto de Souza Alemanha Emailsouza5154@Gmail.com

  18. Os antigos chefes do S.I.inpetores da Guarda que hoje receben penssao e que colocaran a Guarda nesta situacao dificil.esses canalhas ainda teem foto na parede da guarda como herois.Efetivo insuficiente pessimas condicoes de trabalho,e dai colocar na rua demitir e mais facil do que engrandecer tornar grande a HONROSA GUARDA PORTUARIA da qual tenho Orgulho de ter Pertencido durante 10 anos Abracos .Carlos Roberto de Souza

Deixe uma resposta