Rumores indicam a Ishikawajima como nova parceira do EAS

1
332

Lauro Jardim, na coluna Radar, de Veja, revela que o parceiro tecnológico do Estaleiro Atlântico Sul (que estava a ver navios desde que a Samsung deixou a socidedade) será a japonesa Ishikawajima.

A empresa Ishikawajima do Brasil Estaleiros S/A (ISHIBRAS) é um estaleiro brasileiro, instalado na cidade do Rio de Janeiro. A empresa pertence a multinacional japonesa IHI Corporation, controlada pela Mitsui.

As negociações eram conhecidas desde o começo de junho e a novidade é o acerto.

No começo de junho, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado de Pernambuco, Geraldo Júlio, comentava que o EAS estáavaem negociações as japonesas Mitsui e Mitsubishi.

Entenda a confusão

Após a saída da Samsung da sociedade na empresa EAS, a necessidade de encontrar um parceiro tecnológicovirou exigência da Transpetro, que lhe contrata os navios. O parceiro não precisa se tornar sócio da companhia. Tal decisão veio dos sócios do estaleiro, logo após os coreanos da Samsung deixarem o capital da empresa.

Após suspender os contratos com o EAS, a Transpetro assinou um termo aditivo estabelecendo o dia 30 de agosto como prazo para que o estaleiro encontrasse um parceiro tecnológico. Se o estaleiro não cumprisse o termo, os contratos com a Transpetro poderiam ser suspensos defnitivamente.

Assim. o estaleiro precisa ter suporte técnico de um parceiro de classe mundial na construção de 22 navios petroleiros encomendados pela Transpetro, um pacote de cerca de R$ 7 bilhões.

No mês passado, sabia-se que os japoneses estavam há cerca de um mês e meio fazendo um processo de investigação e auditoria (chamada no meio econômico de due diligence) nas informações da empresa. O grupo japonês tinha prazo até o fim de julho para tomar uma decisão, se iria tornar-se sócio e parceiro tecnológico do EAS, hoje controlado por Camargo Corrêa e Queiroz Galvão.

O jornal Valor Econômico chegou a editar reportagem contando que os japoneses teriam ficado “maravilhadas” com a estrutura que está pronta em Ipojuca (PE) e pode ser adquirida por um “preço de ocasião”.

Com as informações – Blog de Jamildo

Por Rodrigo Cintra

1 COMMENT

  1. Eu acredito que ainda veremos a, ISHIKAWAJIMA DO BRASIL,voltar a produzir aqui no RJ, especificamente no estaleiro do Caju, é uma área nobre para construção naval, fato comprovado por 35 anos detrabalho.

Deixe uma resposta