SINDMAR garante a deputados que não há falta de Oficiais na Marinha Mercante

18

O Presidente do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante (Sindmar), Severino Almeida Filho, disse há pouco que não faltam oficiais da Marinha Mercante para operar navios.“Estou chocado com essas propostas emergenciais para um problema que não existe”, afirmou, em relação aos esforços da Marinha e da Petrobras Transportes S.A. (Transpetro) em formar mais profissionais.

Segundo ele, os donos de embarcações tem dito desde o início da década passada que haveria, em 2009 e 2010, falta de oficiais. “Os números são fantasiosos. Em termos práticos, a marinha mercante não existiria.”

Almeida Filho criticou também a facilidade com que estrangeiros podem atuar como tripulantes na frota brasileira. Segundo ele, há mais de 200 oficiais estrangeiros na Marinha Mercante Nacional.

Severino considerou as previsões da Armação como “alarmistas”

Ele participa de audiência pública das comissões de Viação e Transportes; e de Trabalho, e de Administração e Serviço Público para discutir sobre o risco de paralisação na navegação marítima brasileira.

Estudo feito a pedido da Petrobras Transportes (Transpetro) e divulgado no fim do ano passado confirma o risco de paralisações futuras na navegação marítima brasileira por falta de tripulação.

O debate foi solicitado pelo Deputado Edinho Bez (PMDB-SC), integrante da Frente Parlamentar Mista de Defesa da Infraestrutura Nacional, grupo que já fez um diagnóstico do setor e previu que a Marinha Mercante, em breve, sofrerá com a falta de pessoal qualificado.

O debate ocorre no plenário 9.

Com as informações – Câmara dos Deputados

Por Rodrigo Cintra

 

 

 

18 COMENTÁRIOS

  1. então não ha nenhuma necessidade de contratar gringos ou permitir que estes venham ou fiquem trabalhando aqui. FORA GRINGOS VIVA A RN72. brasil um pais de corruptos e mentirosos. vote nulo ou não vá votar.

  2. Princípio básico de economia. Lei da oferta e da demanda. Porque foi justamente a Transpetro, que têm sido preterida há muitos anos pelos marítimos por não oferecer boas condições de trabalho e escala que encomendou o estudo? Resposta simples: Eles querem inchar o mercado de oficiais para poder enfraquecer e desvalorizar a categoria. Na atual situação, de equilíbrio de mercado, os bons profissionais escolhem as boas empresas, as “Transpetros” ficam para trás.

  3. Concordo com Anderson Alves. Querem inchar o mercado para evitar futuras reinvidicaçoes e melhorias para toda a classes marítimas com a procura de embarques maior q a oferta.

  4. O Sindmar pega muito leve nesse assunto de quebra da RN72. Todos sabem que o profissional ao estrangeiro não é contratado pela CLT e vem sob regime de embarque muito pior que o Brasileiro. O oficial Filipino chega a ficar 4 meses a bordo em embarcação Offshore!!! A guarnição Filipina fica 6 meses a bordo em embarcação Offshore!! Ora, é muito simples!

    Falta mão de obra? Pois permitam que os armadores contratem todos os estrangeiros necessários sob a CLT, pagando em reais o mesmo salário que ganha o Brasileiro e com regime de trabalho idêntico ao nosso, ou seja 28×28 ou 14×14.

    Dúvido que o armador contratará 01 único Filipino nessas condições! Mesmo contratar europeu ficará difícil!

  5. estes gringos vão trabalha no território deles , fora vão destruir o mercado deles , não tem necessidade de contratar nenhum gringo , tem um mar cheio de brasileiros que são mais eficiente que eles basta as empresas tomar vergonha e investir como faz na filipinas e em outros paises de mão de obra escrava , tem escola na filipina q ganha simulador das empresas e aqui no maximo ganha uma sala de aula e um cala boca pro comodante

  6. O que falta a estas Empresa e vergonha na cara, pois vivem colocando gente sem a mínima condição para gerencia, que viver criando situação para reduzir custo, em cima do sacrifício dos marítimos em geral, conheço muitas empresa que quebraram por esta falta de gerencia, com roubos, perseguição a marítimo, que custou depois uma retratação financeira, a grande desculpa que não tem profissional no mercado e uma enorme mentira, pois todos os anos ser forma varias categoria de marítimo, e não tem mercado pra todo mundo, o problema das empresas, e que elas não querem pagar o real valor ao profissional marítimo, e hoje do jeito que esta aki fora e melhor fica viver fora do mercado, muitos marítimo hoje e correr de embarca pela a falta de respeito profissional e financeiro, não e justo um pai , marido deixa a família por uma ninharia, enquanto um administrativo esta atrás de uma mesa ganhando o dobro ou mais daqueles que esta verdadeiramente produzindo para a empresa. Acorda deputados, acorda Sindicato, não permita que estas empresas mais uma vez seja beneficiada com estas manobras. Em vez disto faça ele pagar o verdadeiro salario, ao que verdadeiramente produz a esta nação.

    Ernani C. dos Santos
    Marinheiro de Maqinas
    Email: ernanicsa@ig.com.br

  7. Isso tem que ser banido na atual situação aode estão sendo feitos altos investimento nas escolas de formação, as empresas de cabotagem querem nivelar o salario por baixo e dando uma escala que hoje e fora da realidade em comparação com offshore. Já tem maquinista pegando tempo para conseguir embarque, inclusive novos oriundos de effom e asom , ou seja, creio que essa desculpa de falta de marítmos já não esta mais coerente com atual situação do mercado.

  8. Assisti a audiência pela Internet e vi o Presidente do Syndarma (acho que é Bruno o nome dele) dizer COM TODAS AS LETRAS que deseja a abertura para colocar 1500 profissionais (MIL E QUINHENTOS) no lugar de brasileiros nas embarcações de bandeira estrangeira. Desrespeito total a prata da casa, aos nossos marítimos. Já tem maquinista pegando tempo pra embarcar, então essa historinha pra boi dormir não procede.
    O sindicato tem que entrar de sola.

  9. então amigo é só falar para os formandos da efomm não fazerem praticagem lá e deixa eles se virarem la na transpetro abaixo a transpetro.

  10. caro amigos maritimos sou maquinista fui da trasnpetro pior enpresa de navegaçao somos peseguido quando chegamos no navio excala pior o nosso sindicato cada vez mas fraco

  11. Agora chegou a hora de todos os maritimos brasileiro valorizar o SINDMAR, unica voz representativa da classe maritima no congresso.Quando estava só o osso, brasileiro servia, agora com o pré sal todos querem o filé.O salario do brasileiro maritimo vai gerar riqueza no BRASIL.Dividir para dominar,(o lucro) essa teoria é bem conhecida…NAILTO

  12. Concordo plenamente com o Anderson Alves. Se aumentarem a quantidade de oficiais no mercado, vai ter um monte de oficial que vai ficar desempregado e vai se submeter a qualquer inferno de emprego que oferecerem só pra não morrer de fome.

  13. Os armadores Nacionais, querem deixar-nos, afim de obterem mão de obra mais barata,e que o tripulante se submeta a efetuar qualquer tipo de .trabalho a bordo, a qualquer hora. Estou vendo onde trabalho!

  14. Na norsul, já tem varios oficias peruanos, quando nos navios, norsul camocim e crateus,juruti, tem praticantes de nautica embarcados cumprindo o Prest, e segundo a portaria DPC/51, estes ja podem despachar como 2 on,creio que a norsul não estar sendo correta,deveria dar oportunidade para os brasileiros e depois aos estrangeiros, a norsul não pode reclamar se os PONs, logo depois do PREST vão embora, pois quando mais eles precisam a empresa não dar oportunidade, o SINDMAR tem por obrigação verificar isto.
    Carlos-2ON

  15. Não faltam oficiais, o que faltam são melhores condições de trabalho para os Oficiais brasileiros. Empresas que pagam bons salários e investem em seus funcionários nunca ficarão sem mão de obra qualificada, pois todos desejam trabalhar nestas boas empresas.
    Conheço amigos Oficiais já encontrando dificuldades de emprego, o que não ocorria há alguns anos atrás.
    Para a Transpetro e armadores em geral é muito simples: incha o mercado, consequentemente salários mais baixos, maior lucro para as empresas.
    Ao passo que o desemprego aumenta no Brasil, fortalece a economia de outros países, pois o salário que esses ‘gringos’ ganharem aqui no Brasil movimentarão a economia dos seus respectivos países de origem.
    A RN 72 é uma necessidade do Brasil e de todos nós brasileiros.
    Que o nosso Deus continue abençoando a RN 72!!!

    • É óbvio que querem inchar o mercado. Falo por causa própia. Sinto na pele o efeito dessa estratégia perverssa. Sou atualmente MCB e estou tentando embarcar desde fevereiro, enviando currículos, visitando as emprezas pessoalmente e não tenho encontrado vagas para minha categoria de graduado, nem para CTR, nem para MNC e “Raras” são as emprezas que estão precizando de oficiais. Vejo isso nos quadros de disponibilidade de vagas. é um absurdo dizerem que há falta marítimos. O que há falta realmente é de emprego, bons salários e jornada de trabalho mais digna para toda a classe marítima.

Deixe uma resposta