Abreu e Lima – Refinaria já custa três vezes o valor de uma similar

4

Apontado pela Presidente da Petrobras, Graça Foster, como um exemplo a ser estudado para que jamais volte a acontecer na companhia, a construção da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco, resultou em um empreendimento pelo menos três vezes mais caro do que o de similares internacionais, numa estimativa conservadora. Lançada em 2005 por US$ 2,3 bilhões, a refinaria teve o orçamento revisado há pouco mais de um mês para US$ 20,1 bilhões.

A previsão divulgada pela gestão  Graça eleva o custo por barril para US$ 87 mil, ante uma média de US$ 10 mil a US$ 25 mil de refinarias de alta complexidade recém-concluídas ou em construção no mundo. A Petrobras admite falha na aprovação dos projetos, mas é categórica em dizer, por meio de nota: “Não houve erros nos cálculos” e “as estimativas são elaboradas observando preços praticados no mercado”, garante, em resposta à Agência Estado.

Não é o que o Governador Cid Gomes afirma ter ouvido no mês passado pessoalmente de Graça. A Índia faz refinarias a US$ 13 mil por barril, a China a US$ 14 mil e a Coreia do Sul a US$ 18 mil, relatou Graça, segundo o Governador informou à reportagem. Por esses parâmetros, a refinaria pernambucana, com capacidade para processar 230 mil barris, deveria custar no máximo US$ 4,1 bilhões.

A refinaria Saudi Aramco, em construção na Arábia Saudita e com previsão para ser inaugurada na mesma época da Abreu e Lima, o último trimestre de 2014, custará proporcionalmente pouco menos de um terço: US$ 25 mil por barril. Aplicado o mesmo índice de custo à Rnest, a pernambucana custaria menos de US$ 6 bilhões. A comparação é mais evidente com a refinaria indiana Reliance Jamnagar, tida como referência de eficiência no mercado e lançada em 2009 por US$ 10 mil por barril numa obra que durou apenas 36 meses. Se o mesmo índice fosse aplicado ao empreendimento da Petrobrás, a Rnest custaria quase um décimo, US$ 2,3 bilhões. A pernambucana deve ser inaugurada em 2014 com três anos de atraso.

Com as informações – O Estado de S. Paulo

Por Rodrigo Cintra

 

 

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Isso tudo por conta da gestão ” eficientíssima ” que é feita com os recursos financeiros, humanos e tecnológicos disponíveis na Petrobras!
    Me deixa triste ouvir / ler este tipo de notícia, fico triste quando vejos pessoas despereparadas e apadrinhadas que ocupam cargos que deveriam estar sob responsabilidade de profissionais técnicamente preparados e profissionalmente comprometidos com a Petrobras.
    Hoje o que mais se vê e me perdoem os bons, são profissionais despreparados, sem comprometimento, sem conhecimento sobre o que exercem ou fiscalizam, criando ou usando a burocracia atual para garantir seus empregos sem se preocupar com o resultado final.
    Mas como bom brasileiro, ” não desisto nunca ”, e ainda eu verei uma Petrobras mais forte, eficiente, e brasileira, cujo trabalho, tecnologia, empenho e ” LUCROS ” possam ser revertidos para nos brasileiros como um todo e não um pequeno grupo.

  2. DIFICIL ACREDITAR EM ALGUMA OBRA DO GOVERNO PT QUE NAO TENHA DESVIO DE DINHEIRO, QUE NAO EXISTA PROPINAS E POLITICOS QUE FICAM MILHONARIOS, ACORDA BRASIL.

  3. é este é o brasil e a Petrobras uma das maiores empresas da America que teve bem pouco tempo suas ações desvalorizadas e que gasta três vezes o valor correto . viva a administração do brasil e da Petrobras. tenho vergonha de ser brasileiro . vote nulo . ou não vá votar .
    nestes administradores corruptos.

  4. É por isso que as ações da petrobras não sobem… má gestão em todos os sentidos!
    A atual presidente parece ser mais técnica e menos política. Contudo, será que ela vai conseguir extirpar da estrutura da empresa os maus administradores?
    sds,

Deixe uma resposta