Casco da P-74 entra para docagem no Estaleiro Inhaúma

7
331

A Petrobras realizou, no dia 20 de agosto (segunda-feira), cumprindo rigorosamente o prazo estabelecido, a primeira docagem do navio Petrobras 74 no Estaleiro Inhaúma, no Rio de Janeiro (RJ). A conclusão dessa manobra possibilita o início das obras de conversão do casco em uma Unidade de produção, a P-74. A conversão do navio Petrobras 74, anunciada há dois anos, foi planejada para dar entrada no estaleiro em 24 de agosto de 2012.

De acordo com nota da Companhia, mais um marco da indústria naval brasileira, será a primeira conversão de casco dessa natureza a ser feita no Brasil. A P-74 será também o primeiro FPSO (navio-plataforma) com destino aos campos da Cessão Onerosa, no Pré-Sal na Bacia de Santos. A inspeção das chapas do casco e a desmontagem de equipamentos originais do navio serão as primeiras atividades da conversão.

Além dessas atividades, a conversão também prevê o reforço estrutural do casco; a construção de novos módulos de acomodação, que terão capacidade para 110 pessoas; a substituição integral dos equipamentos originais, além da fabricação e instalação de 13 mil toneladas de estruturas novas necessárias para suportação dos módulos, das linhas de produção e do novo sistema de ancoragem entre outros. As obras de conversão da P-74 têm previsão de término em junho de 2014.

Estaleiro Inhaúma – A primeira docagem do navio Petrobras 74 representa o início de uma nova era para o Estaleiro Inhaúma. Na década de 80, ele foi o segundo maior estaleiro do mundo na construção de navios. Porém, devido à decadência da indústria naval brasileira no final dos anos 80 e nos anos 90, o Inhaúma acabou sendo abandonado e deteriorou-se durante mais de uma década sem atividades.

Para atender as crescentes demandas da Petrobras, a Companhia arrendou o Estaleiro em junho de 2010 e assumiu a sua gestão por um período de 20 anos. Assim, a Petrobras iniciou a reforma do estaleiro e já reconstruiu importantes instalações como, por exemplo, o dique seco, que após um conjunto de obras de recuperação, encontra-se novamente em condições de uso. A conversão do navio Petrobras 74 será a primeira grande obra realizada no Inhaúma após a sua retomada.

A operação -O navio P-74, hoje um petroleiro do tipo VLCC (Very Large Crude Carrier), saiu no dia 20/08 (segunda-feira), às 9 horas do Porto do Rio de Janeiro, onde estava atracado desde sua chegada ao Brasil, em novembro passado. Durante as manobras e o transporte até o Estaleiro Inhaúma foram utilizados seis rebocadores, sendo quatro no reboque propriamente dito e dois de reserva. Após a passagem pelo vão central da Ponte Rio-Niterói o navio foi conduzido até o estaleiro. Para a entrada do navio no dique foram utilizados guinchos existentes no estaleiro. Toda a operação, desde a saída do porto até a entrada no dique, durou cerca de seis horas.

“O Estaleiro Inhaúma ainda receberá as obras de conversão da P-75, P-76 e P-77, também destinadas aos campos da Cessão Onerosa. A Petrobras assinou o contrato de conversão para todas as plataformas em maio de 2012 com o Estaleiro Enseada Paraguaçu, consórcio formado pelas empresas Norberto Odebrecht S/A, OAS Ltda e UTC Engenharia S/A, e que possuem como parceiro tecnológico a empresa japonesa Kawasaki Heavy Industries. O valor global é de US$ 1,7 bilhão e as obras terão conteúdo nacional de 70%, com geração de cerca de cinco mil empregos diretos no pico das atividades”, frisa a nota.

“Após a conclusão dessa etapa de conversão, cada casco será transportado até outro canteiro. A partir daí, será iniciada a etapa de integração, ou seja, a instalação de módulos da planta de processo sobre os cascos convertidos. Os contratos de construção e integração dos módulos serão assinados até abril de 2013”, adianta.

Com as informações – Fator

Por Rodrigo Cintra

 

 

 

 

7 COMMENTS

  1. Isso é ótimo para nós metalurgico, para o brasil ,mais emprego, mais condições de vida para os trabalhadores e seus famíliares ,é isso ai estou daqui de fora torcendo pelo estaleiro inhaúma…. é tudo obrigado.

  2. sou técnico de maquinas navais com atividades profissionais gostaria de uma oportunidade no estaleiro inhaúma

  3. eu sou maçariqueiro e estou no rio hj mas minha terra natal ,e na bahia e gostaria de trabalhar tanto aqui no rio em inhaúma e depois la em são roque do parraguaçu na bahia no mesmo consorcio .

  4. E muito bom ver alguem nesse governo enfrentando a politicagem canalha desse Brasil corrupto porque na decada dos anos 80 o indice de desemprego no rio de janeiro era qua se 0 graças a construçao naval nao e novidade o que estou dizendo os mais antigos e novos que aconpanhan a politica sabem disso , mais creio eu ou acho eu que isso e um passado bem recente ainda me encontro atuando como soldador hoje prestando os meus trabalhos no comperj o maior polo petroquimico do estado do rio de janeiro em itaborai trabalhei de 82 a 94 no ishikawagima do brasil hoje estaleiro inhauma por isso pretendo retornar ao estaleiro porque foi ali que minha carreira como soldador começou enviem para mim no meu email um site em que eu possa enviar meu curriculo……obrigado.

  5. fico feliz de ver um estaleiro com um grande porte reabrindo principalmente pela petrobras,mais uma grande porta que se abre para nós trabalhadores como aprendi priorisa em primeiro lugar a sugurança,qualidade de trabalho e meio ambiente tudo isso de pois que tive uma oportunidade de trabalhar embarcado e na reduc sei que peço sempre a DEUS que no nosso brasil que levante pessoas do bem que sejam umilde e que se preucupa com seu prossimo,sou encanador e ja trabalhei em muitos estaleiro também gostaria muito de fazer parte novamente desse grupo seja qual for a empresa porque sei que a petrobra so contrata empresas qualificadas e que se preucupa com o bem estar dos funcionário para dar a melhor,que DEUS abençõe todo grupo do menor ao maior e desejo um feliz natal e um própero ano novo cheio de benças do ceú em 2013.

Deixe uma resposta