Salvador – Greve da ANVISA congestiona fundeio na Baía de Todos os Santos

0
151

Trinta e cinco navios estão fundeados na Baía de Todos os Santos à espera de liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para descarregar mercadorias no Porto de Salvador que variam de trigo a produtos químicos.

O congestionamento de embarcações na Baía de Todos os Santos se deve à greve dos servidores federais.

“A liberação dos navios que chegam à capital baiana estão acontecendo por meio de mandados de segurança”, explica Eronilson Costa, Secretário Sindical do Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências).

Em greve desde 16 de julho, 70% dos servidores da Anvisa foram obrigados judicialmente a retornar ao trabalho, mas, segundo Costa, devido à demanda acumulada dos dias de paralisação, os fiscais não estão conseguindo dar conta das inspeções.

“Um navio está levando em média dez dias para conseguir a liberação para descarregar em Salvador e em 90% dos casos, a liberação só acontece através de determinação judicial”, conta. Ainda segundo Costa, mais de 35 navios estão paralisados na Baía de Todos os Santos a espera da liberação realizada por funcionários da Anvisa. “Diariamente chegam, em média, 10 navios no Porto de Salvador”, ressalta.

A Bahia tem 60 funcionários da Anvisa, porém, apenas oito fiscais fazem as inspeções no Porto e Aeroporto de Salvador. “É um número insuficiente”, diz, destacando que o aumento do efetivo está entre as reivindicações da categoria.

Nessa quinta-feira (23/8), servidores da Anvisa, da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e Receita Federal realizaram um protesto, na Avenida da França, no bairro do Comércio. Eles rejeitaram a proposta de reajuste do Governo Federal – 15,08% parcelado em três anos.

De acordo com Luiz Fernando Nogueira, presidente do Sindicato dos Auditores-Fiscais da Receita Federal (Sindifisco) de Salvador e Região Metropolitana, apenas medicamentos, alimentos perecíveis, explosivos, armamentos e urnas funerárias estão sendo liberadas pelos fiscais da Receita. “Todos os outros produtos importados estão ficando retidos da Alfândega”, destaca.

A próxima semana deve ser marcada por mais alguns transtornos. Na terça e quarta-feira, os fiscais pretendem paralisar as atividades de desembaraço na Alfândega, do Porto e também do Aeroporto de Salvador.

Com as informações – Tribuna da Bahia

Por Rodrigo Cintra

 

 

 

Deixe uma resposta