Expedição canadense vai buscar navios perdidos no gelo há mais de 150 anos

0

O Canadá anunciou o lançamento de uma terceira expedição científica para procurar os dois barcos do Explorador britânico Sir John Franklin, que desapareceu em 1845 no Ártico. O navio de pesquisas Martin Bergmann e o quebra-gelos da Guarda Costeira canadense Sir Wilfrid Laurier explorarão durante as próximas semanas uma superfície de 1 mil a 1,5 mil km², em comparação com os 125 km² das expedições anteriores.

Primeiro Ministro em conversa co ma tripulação do Navio Martin Bergmann

O Primeiro-Ministro Stephen Harper afirmou que buscar e encontrar os navios perdidos resolverá um mistério de 170 anos que cerca seu desaparecimento e revelará a rica história da Passagem do Noroeste, a rota marítima que contorna a América do Norte pelo norte e que era procurada por sir Franklin. Os dois barcos foram designados como sítios históricos nacionais canadenses “desconhecidos”.

Sir John Franklin, Comandante da Expedição

A expedição de Franklin, assim como várias missões enviadas pelo almirantado britânico para tentar encontrar os barcos do expedicionário, marcaram o começo de uma era de exploração do Ártico e de desenvolvimento da cartografia da zona.

Em 19 de maio de 1845, os navios da Real Marinha Britânica, o “HMS Erebus” e o “HMS Terror”, partiram de Greenhithe, Inglaterra, em expedição ao Ártico para buscar uma rota marítima entre o Oceano Atlântico e o Pacífico, com uma tripulação total de 134 oficiais e soldados. Dois navios baleeiros os viram pela última vez em agosto de 1845, quando Franklin estava esperando uma oportunidade para cruzar a Baía de Baffin até Lancaster Sound.

Uma ilustração de 1845 mostrando os dois navios

Uma mensagem deixada sobre um monte de pedras em Victory Point, na Ilha do Rei William, revelou que os dois barcos ficaram presos pelo gelo no final de 1846. Segundo a mensagem, encontrada em 1859, Franklin e outros 23 membros da tripulação morreram em 11 de junho de 1847, em circunstâncias não especificadas. Em 22 de abril de 1848, 105 sobreviventes teriam abandonado os barcos para tentar ir a pé para o continente. Nenhum deles sobreviveu. Os barcos foram sepultados pelo gelo.

Com as informações – AFP

Por Rodrigo Cintra

 

 

 

Deixe uma resposta