Bacia de Campos – Petrobras amplia Programa de Aumento da Eficiência Operacional

0

A Petrobras estendeu ontem (19/11) o Programa de Aumento da Eficiência Operacional da Unidade de Operações da Bacia de Campos (PROEF) para as concessões sob responsabilidade da Unidade de Operações do Rio de Janeiro (UO-Rio), localizadas na mesma bacia sedimentar (Bacia de Campos). A UO-Rio produz mais de 900 mil barris de petróleo por dia, o que representa 47% da produção da Petrobras no Brasil, operando os sistemas de produção mais recentes da Bacia de Campos, com eficiência de 91%.

Quatro meses após o lançamento oficial do Proef, a extensão do programa ocorreu em cerimônia realizada hoje na base Carlos Walter Marinho Campos, em Macaé (RJ), e contou com a presença da presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, do Diretor da área de Exploração e Produção (E&P), José Formigli, e dos gerentes executivos da área, Solange Guedes, Erardo Barbosa, Cristina Pinho e Rudimar Lorenzato.

Pela manhã, a Presidente Graça, o Diretor Formigli e os executivos da Petrobras estiveram na plataforma P-40, onde fizeram visita de inspeção, permanecendo embarcados por mais de quatro horas. As visitas às unidades da Companhia têm sido pratica constante na agenda da presidente da Petrobras e de seus diretores.

“Nossa meta é aumentar a eficiência operacional, e o PROEF é nossa prioridade. Estamos trabalhando para recuperar nossos melhores índices. Já contabilizamos bons resultados na UO-BC e temos boas expectativas com o programa na UO-Rio, principalmente por se tratar de uma unidade de operações com plataformas mais jovens, com condições de responder de forma mais rápida”, disse a presidente Graça Foster, completando que a meta é chegar a níveis de eficiência superiores a 94% até 2016.

O Diretor José Formigli lembrou a implantação do programa na unidade da Bacia de Campos e reforçou sua importância para a Companhia. “Desenvolvemos um trabalho imenso na UO-BC, que já começa a dar resultados. No caso da unidade do Rio de Janeiro, estamos antecipando as ações pela eficiência operacional das unidades, afastando o risco de perdas e queda da eficiência. Precisamos trabalhar integrados, no intuito de entregar os resultados planejados”, afirmou.

O PROEF é um dos programas que apoiam o Plano de Negócios e Gestão da Petrobras (PNG). Foi elaborado para restaurar a eficiência operacional dos sistemas de produção mais antigos da Bacia de Campos aos níveis históricos de 90% até 2016.

Na Unidade de Operações do Rio de Janeiro, onde o programa começa a ser implantado agora, as principais ações estão relacionadas à entrada em operação de novos sistemas de produção, integração de operações, gestão da manutenção, planejamento de paradas programadas e atualização tecnológica, com abrangência nas instalações submarinas, poços e superfície. O dispêndio adicional previsto é da ordem de US$ 710 milhões.

De acordo com a Gerente Executiva de Engenharia de Produção da área de Exploração e Produção, Solange Guedes, os desafios são grandes e o empenho dos técnicos da Companhia e das áreas envolvidas, inclusive a presidência, é grande. “Temos resultados importantes a serem alcançados no curto prazo”, reforçou a executiva durante a reunião de trabalho com os gerentes da Petrobras, em Macaé.

O programa atenderá a todas as instalações de produção gerenciadas pela unidade. As metas de eficiência operacional foram definidas de acordo com o Plano de Negócios e Gestão 2012-2016. O índice de eficiência a ser atingido pela UO-Rio, em 2016, é de 94%, o que representa um aumento de 5% em relação à projeção anterior da Companhia para aquele ano, se mantida a tendência atual sem a implementação das ações do PROEF (UO-Rio).

Unidade de Operações de Exploração e Produção do Rio de Janeiro – UO-Rio

A Unidade de Operações de Exploração e Produção do Rio de Janeiro (UO-Rio) foi criada em 1º de novembro de 2000, a partir da reestruturação do segmento de negócio de Exploração e Produção da Petrobras. Atualmente, gerencia sete concessões localizadas em águas profundas e ultraprofundas da Bacia de Campos, onde se localizam os campos de Albacora Leste, Barracuda, Caratinga, Marlim Leste, Marlim Sul e Roncador.

Atualmente a UO-Rio opera 15 unidades marítimas. As altas vazões de petróleo e gás de suas plataformas contribuíram para que se tornasse a unidade com maior produção da Petrobras. Com a entrada em operação das novas unidades estacionárias de produção (UEPs) P-55 e P-62, em 2013 e 2014, a UO-Rio manterá papel relevante na produção nacional de petróleo e gás.

Deixe uma resposta