Relato de um Marítimo da Nova Geração

12

Recebemos este texto em forma de comentário no Portal e achei super interessante publicá-lo em forma de matéria. Mais uma vez, é um texto que nos leva à reflexão sobre aonde queremos chegar com determinados processos seletivos em nosso meio.

Sou Luiz Claudio, tenho 38 anos de idade; atuei como professor de espanhol e português dos 24 aos 37 anos.

Concluí o CFAQ e conquistei minha primeira CIR no ano passado, primeira turma da melhor instituição formadora de marítimos de minha categoria (Delegacia de Itacuruçá).

Atualmente, sou – com muito orgulho – MOC (Moço de Convés) numa empresa que, para mim, é a melhor empresa offshore do mundo, pois é a que me escolheu como investimento e, por conseguinte, paga pelos meus – diga-se de passagem – bons serviços, o que resulta na minha tranquilidade e na de minha família com relação às contas pagas, planejamento financeiro futuro e no lazer.

Respeito as opiniões contrárias, mas a verdade é que elas não me interessam; a menos que tais opiniões venham carregadas com propostas mais atraentes de trabalho do que a que eu já tenho.

Não sei se você, que está lendo este texto, percebe que este é o tipo de discurso que as empresas querem ouvir de seus empregados. Afinal, coloque-se no lugar de seu empregador e imagine-se escutando de um funcionário ou candidato que sua formação foi pífia, mas que ele é esforçado para aprender, ou que sua empresa não é lá grandes coisas. Convenhamos, “realidade” tem limites, não acha?

Você, como contratante, daria preferência a um candidato desse quilate?

Com o maior respeito que dispenso aos estrangeiros e aos xenófilos peço licença para declarar meu apreço e minha admiração ao “marítimo da casa”, àquele brasileiro que sente orgulho em ser marítimo e não gasta seu latim vilipendiando nosso ensino, nossa bagagem como profissionais do mar.

Texto de Luiz Claudio

12 COMENTÁRIOS

  1. Está aí,

    Pessoas como Luiz Cláudio,, qualificado e de carater cobrando a atenção daqueles que valorizam a mão de obra estrangeira.

    sds, CDM TRANSPETRO/GILSON

  2. Assim como o Luis Cláudio, me formei em MOC na Delegacia de Itacuruçá (março de 2012). Sou formado em Ed Física desde 2004, mas diferente dele ainda estou a procura de embarque em uma empresa para que eu possa crescer e seguir carreira.
    O Contraste entre a desvalorização do (Professor e outros profissionais) e os benefícios concedidos aos marítimos merecidamente, aumentará o numero de pessoas com essas qualificações (médio e superior) p/ o processo seletivo.

    Gláucio Correa “glauciomingau@ig.com.br”

  3. 100% apoiado Claudio, tambem sou MOC formado em 2010, tive, como digo, sorte de logo embarcar em uma otima empresa OFFSHORE, nada tenho a reclamar de onde estou. Concordo plenamente com vc quando fala dos profissionais que so sabem reclamar, como ja ouvi uma vez….são os falsos maritimos, aqueles que so estão aqui interessandos no dinheiro, não dão valor a sua formação e a tradição marinheira de nosso pais. Sou bisneto, neto e filho de vapozeiro com muito orgulho e hoje faço questão de passar o amor que tenho pela profissão a meu filho!!!

  4. Caro LUIZ CLAUDIO….
    sua opinião…é muito relativa…pois dentros dos seus interesses…é para você de muito agrado…porém dentros dos interesses de amigos…companheiros de trabalhos…talvez não seja a mesma….acredito que se todos nós formos assim como você…especificamente…não só você como eu também talvez…nem marítimo seriamos…pois qual de nós….não tivemos problemas…em nossa vidas que por sua vez, viemos a depender de alguém que tivesse um pouco de paciência é compreensão..com os nosso problemas …já imaginou isso…se todos nós somente nos preocuparmos apenas com os nosso interesses…o que será de nossa classe…posso hoje estar bem empregado…você também…mais sei que existi ainda muitos irmãos…assim como fiquei…na pedra em macaé ou mesmo aqui no rio…trabalhando na própria pensão para pagar a moradia….a comida, sem as vezes um tostão …indo nos sindicatos apenas para poder tomar café…é beber água….quando não consegue…um almoço…não sou representante…da CIPA…nem de nada sou apenas alguém que viveu na pele o que é tentar até a última circunstância um embarque…..é e por isso que falo que ás vezes…uns tem sorte,outros não….como dizia meu pai…quem tem sorte joga é ganha quem não tem perde é apanha….VIDA LONGA É PRÓSPERA…FORÇA É HONRA
    ANTONIO/NETO

  5. Caro amigo respeito sua opinião mas temos que cobrar da marinha , por quer mesmo o filipino senho escravo do mar ,eles tem uma formação muito boa e não deixam pegar nada ,o brasil ta acostumado a formação nas encoxa , tem muito aluno da efomm , ason/m e caaq q passaram no curso colando e na hora da embarque não sabe nada só faz besteira , e quando vira chefe da ordem absurda ,os mais antigos tem varios exemplos ,então temos q cobrar sim e exigir a melhor qualidade possível, pq não é de graça eles mamam numa teta que parece não ter fim então lutar para melhorar e formar profissonais melhores e exemplos para o mundo .

  6. Está aí a prova cabal dada pelo Luiz Cláudio, do que eu sempre disse. Estudem, aperfeiçem-se cada vez mais e a recompensa virá, mostrando que somos melhores que quaisquer estrangeiros que venham para cá, usufruir das benesses dadas pela armação e autoridades. Recomendo a leitura do BLog Mercante onde externei minha opinião e não pretendo mais voltar neste assunto. Parabéns, professor, pois também sou, pelo seu comentário. Sds. Mercantes.

  7. Sou Enfermerio Maritimo, me formei no final do ano passado possuo Cir e toda a documentação exigida, no entanto não condigo embarcat ou po falta de experiencia ou padrinho. Estive em Macaé mas nada gostaria muito que a Marinha Mercante você diferente no entanto mostra a mesma postura das empresas no geral.
    azevedoseguranca@hotmail.com

  8. CARO COMPANHEIRO CDM WILLIAN…
    O MEU COMENTÁRIO EM MOMENTO ALGUM SE REFERE A FACILITAR A
    FORMAÇÃO DO MARÍTIMO É SIM…OS ENTRAVES BURROCRATICO QUE SE APRESENTAM….NAS NOSSAS VIDAS…SABEMOS…VOCÊ ASSIM COMO EU QUE TUDO ACONTECE NO MOMENTO DO EMBARQUE…TODOS OS TIPOS DE SITUAÇÕES…APARECEM…JÁ IMAGINOU SE TUDO TIVESSE DE SER FEITO NA MARCA…COM CERTEZA…MAIS DA METADE DOS BARCOS…NEM SAIRIAM DO PORTO…É A ISSO QUE ME REFIRO…AS VEZES,POR PEQUENOS ENTRAVES BURROCRATICOS…PREJUDICAMOS A VIDA INTEIRA DE UMA
    PESSOA…..EXEMPLO..PARA SER MAIS CLARO…QUANDO ESTAMOS EMBARCADOS….DEVERIA PARA GENTE TER UM SALVO CONDUTO…JÁ PERDI..VARIAS INSCRIÇOES DE CURSOS..NO CIAGA POR ISSO,QUANDO DUAS INSCRIÇÕES COINCIDEM…NA MESMA DATA….DEVEMOS OPTAR POR UMA…FALTA UM RETRATO,FALTA UM ATESTADO..TUDO ISSO PARA MIM…NADA AFETA SUA CAPACIDADE,COMPETENCIA,PARA MIM NÃO PASSAM DE ENTRAVE BURROCRATA..SABEMOS QUE TEMOS PRAZO…SABEMOS QUE QUASE TODOS OS EMBARCADORES…DÃO O SEU JEITO QUANDO FALTA ALGUÉM…DA TRIPULAÇÃO…POR QUE NÃO QUANDO FALTA ALGO… …NESSAS CIRCUNSTÂNCIA….À ISSO QUE ME REFIRO…OK…VIDA LONGA ÉPRÓPERA ANTONIO/NETO…
    NOSSO EXEMPLO NO DIA A DIA…FAZ MUITO GENTE MUDAR O SEU JEITO ,ATÉ MESMO A CONVIVÊNCIA…FAZ MUITA GENTE MUDAR DE OPINIÃO…..O HOMEN É PRODUTO DO MEIO……FORÇA É HONRA…..

  9. Amigo Maritimo
    Voce esta’ comecando agora nesta vida fadonha, pois so’ eu sei o que ja’ passei neste mundo tenebroso. Sou maritimo ha’ mais de 30 anos e sempre viajei mundo afora. Hoje trabalho em um FPSO e vejo muitos colegas raclamando dos 14 dias que ficam a bordo. Imagine voce fazer uma vigem de Vitoria-ES para Kobe no Japao e de la’ seguir para o Golfo fins carregar petroleo para Curacao, na America Central, depois seguir para o Peru onde carregamos minerio de Cobre e seguirmos para Roterdam na Holanda, e em seguida fomos para Adana na Turquia pra carregar petroleo e trazer para Angra dos Reis. E tem mais, ter que ficar 16 meses embarcado pra poder adquirir pontuacao fins tirar ferias. Analise e diga se isso e’ ou nao e’ vida boa. E hoje em dia vejo pessoas que nunca fizeram um curso sequer, embarcando e trabalhando na funcao daqueles que tem larga e vasta experiencia maritima. Um abraco!!!

  10. Nao devemos transferir para os outros a responsabilidade que e nossa de buscar o conhecimento e nos profissionalizarmos cada vez mais, nao adianta atribuir ao Governo ou a empresa a responsabilidade de treina-lo , pagar curso e se este presta ou nao, o conhecimento é patrimonio seu e é o tesouro que te da a liberdade de escolher onde quer ir e o que quer fazer. Saudacoes maquibambas
    Paulino Soares Neto – OSM

  11. Olá, meu nome é Charles de souza silva e fiz o curso de marinheiro auxiliar e estou esperando sair a minha cir. Vi muitos comentários de outros marítimos com mais experiencia insatisfeitos com os novatos, e que realmente tem varias pessoas que não sabe nada e e estão embarcados, li vários comentários aqui mesmo na internet, que o maior motiva das empresas ao contratar os (novatos sem experiencia) é o fato de que temos muitos profissionais mecânicos, elétricos, técnicos chefes de vários setores, e que a unica diferença é que estará dentro de um barco e ou em plataformas, por esse motivo eles estão contratando proficiências, e não pessoas sem experiencia nenhuma. Todos que conheço no setor, (não são muitos) uns recalmão e outros levanta as mãos para o seus e agradece portanto em todos os setores temos pessoas e pessoas. Ainda não tenho experiencia embarcado, agora, com mais de 10 anos como eletricista na carteira assinada por outras empresas será que é muito complicado eu encontrar meu primeiro embarque e ou plataformas, mesmo como marinheiro auxiliar?
    Uma coisa que ainda esta muito falho, é que temos muitas empresas no setor mais não sei para onde manda os meus currículos, poderiam me da uma dica por gentileza, Meu avo falava que: O não sempre temos em qualquer situação, então, vamos tentar um sim.
    Obrigado.

    Santos,12 de junho de 2014

Deixe uma resposta