Imagens impressionantes do abalroamento de rebocador com a P-51

3
856

at102

Na última terça feira, dia 24, como muitos já sabem, houve um acidente entre um rebocador e a plataforma P-51, no campo de Marlim Sul, causando alguns danos, mas ninguém ficou ferido.

Há muita especulação sobre o que aconteceu, chegamos a receber algumas informações, porém, o mais importante, é justamente o fato de ninguém ter ficado ferido.

Seguem algumas fotos recebidas pelo Portal Marítimo:

P51_1
Baleeira 6 ficou completamente destruída
P51_2
Esacadas também foram atingidas
P51_3
Houve danos superficiais em uma das colunas
P51_4
Spider deck foi atingido, mas ninguém se feriu

A embarcação Armada Tuah 102 estava desde 2011/2012 em um contrato com a Petrobras e é de propriedade do Armador Bumi Armada. O navio opera também como PSV.

A baleeria 6 ficou destruída e houve danos em algumas escadas, no spider deck e mais alguns danos superficiais em uma das colunas da plataforma.

Após o abalroamento o navio chegou a ficar posicionado bem debaixo da plataforma, assustando a todos.

Em nota, a Petrobras informou o seguinte:

“Não houve vítimas, feridos ou prejuízo à integridade física das pessoas. Foram constatados danos superficiais na parte externa da plataforma e danos a uma baleeira. Devido à redução da capacidade de salvatagem da plataforma, provocada pela perda da baleeira, foram desembarcadas 36 pessoas. As instalações de produção estão íntegras e a unidade opera normalmente.

O barco que provocou o incidente rumou para o Rio de Janeiro para que fossem apuradas as causas por uma comissão já constituída. A Petrobras comunicou a ocorrência à Marinha do Brasil, à Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis (ANP), ao Ibama e ao Inea”. 

Passado o susto, que fiquem as lições. Trabalhar no mar pode ter um preço muito alto. Estejamos atentos, treinados e cientes da importância de tudo o que fazemos, pois estão sempre envolvidas vidas humanas, o meio ambiente e a integridade dos ativos de diversas empresas.

Por Rodrigo Cintra

3 COMMENTS

  1. Fique sabendo como ocorreu o caso. Um dos oficiais de lá, que não estava a bordo no dia do ocorrido é meu amigo de turma.
    Ele me contou que embora seja culpa do oficial de serviço, a empresa não está totalmente isenta de uma das causas do acidente, que foi a distração.

    Ele diz que é muito comum o pessoal de terra enviar todas as burocracias e papeladas que são deles mesmo para a bordo. E que estes cobram que tais documentos sejam enviados ate um horário limite.
    No dia do ocorrido, o que se passou foi exatamente isso. O oficial de serviço estava sobrecarregado com vários documentos para enviar, e nesse stress se desligou do aproamento e deriva da embarcação que se encontrava em stand by para a unidade, e nisto ocorreu o abalroamento.

    Vale lembrar que não estou inocentando o oficial que se encontrava lá, mas sim, que esta sobrecarga burocrática atrapalha e pode ser muito perigosa no exercício da função durante o serviço.
    Acho que os setores segurança da navegação das empresas devem se tocar em relação a isso.

    Sds,

Deixe uma resposta