Oficial de Máquinas ou Maquinista?

5

Na Marinha Mercante, o termo maquinista pode referir-se tanto aos Oficiais como aos Subalternos da Seção de Máquinas. O pessoal de ambos os escalões ocupa-se da condução e da manutenção dos sistemas de propulsão e de produção de energia a bordo de uma embarcação. Os Oficiais de Máquinas, normalmente, ocupam-se dos sistemas de propulsão mais potentes e complexos, podendo também ser responsáveis pelo estudo científico da concepção e reformulação daqueles sistemas.

Os Maquinistas podem ser especialistas em um ou mais tipos de sistemas de propulsão marítima, incluindo as máquinas a vapor, os motores de combustão interna, as turbinas a gás e outros. Assim, os que antigamente eram chamdos Vaporzeiros, hoje podem ser chamados Maquinistas.

Maquinista de navio a vapor – o famoso “Vaporzeiro”

Carinhosamente, o termo “Vaporzeiro” foi simplificado para “Vapozeiro” e hoje é usado na Marinha Mercante para definir qualquer marítimo, independente se é da Seção de Máquinas ou de Convés.

Compete aos Maquinistas (Oficiais e Condutores) a regulagem, condução e manutenção das máquinas propulsoras a bordo das embarcações. No âmbito das suas funções, preparam as máquinas, inspecionam e verificam o seu funcionamento, conduzem as máquinas durante o percurso, monitorando-as e fazendo variar o seu regime de funcionamento a fim de permitir a manobra, detectam eventuais anomalias mecânicas ou elétricas, reparando-as sempre que possível, coordenam e executam o beneficiamento, limpeza, lubrificação e outras atividades de manutenção do equipamento, além de zelarem pelo estoque e beneficiamento de combustíveis, lubrificantes e outros consumíveis necessários à operação e manutenção das máquinas.

Rodrigo Cintra na Máquina do NM Castillo de San Juan, da Elcano, turma do Chefe Zé Carlos e Sub Chefe Sérvulo, Meca Cizenando “Jamelão”, 2OMs Vidigal e Simões e marinheiros Pedrinho e Gérliton, em Novembro de 2005 – Viagem Rio de Janeiro x Rotterdam. Essa turma deu o gás e largou o couro nesse navio.

No Brasil, os Oficiais de Máquinas são formados pelas Escolas de Formação de Oficiais da Marinha Mercante, localizada no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (Rio de Janeiro/RJ)) e Centro de Instrução Almirante Brás de Aguiar (Belém/PA). Os subalternos também podem ter acesso à categoria de Oficial, através do Curso de Acesso a Oficial de Máquinas (ACOM). Os profissionais graduados em áreas afins também podem ser qualificados como oficiais de Máquinas, através do Curso de Adaptação a Oficial de Máquinas (ASOM).

Oficiais de Máquinas – Foto: Jornal O Pelicano

A sua carreira desenvolve-se pelas seguintes categorias: Praticante Oficial de Máquinas, 2º Oficial de Máquinas, 1º Oficial de Máquinas e Oficial Superior de Máquinas. A bordo de uma embarcação, conforme a sua categoria e a potência dos sistemas propulsores daquela, um Oficial de Máquinas pode exercer as funções de Chefe de Máquinas, Sub Chefe de Máquinas ou Oficial de Quarto.

Os Oficiais de Máquinas são auxiliados em suas funções pelos subalternos da Seção de Máquinas, que são o Condutor de Máquinas (Mecânico), Marinheiro de Máquinas, Moço de Máquinas e Marinheiro Auxiliar de Máquinas (MAM). Os Marinheiros Auxiliares são certificados tanto para auxiliarem na Seção de Máquinas como na Seção de Convés. Em relação aos Condutores, conforme o grupo profissional, existem os Condutores de Máquinas (marítimos), Motoristas Fluviais (fluviários) e Motoristas de Pesca (pescadores).

Bem galera, ser maquinista, na teoria, é mais ou menos isso aí, mas na prática… você faz de tudo um pouco… o bicho pega… mas pega sob controle.

Sempre sob controle.

A gente rala, a gente sofre, mas cada minuto do dia é de aprendizado constante.

Por Rodrigo Cintra

5 COMENTÁRIOS

  1. Só que ultimamente não sei dizer quem auxilia quem, os subalternos estão vindo bem preparados enquanto os oficiais…essa nossa marinha mercante continua sendo uma mãe com chaminé nas costas.kkkkssssss!!!!

  2. As empresas deveriam dar mais oportunidades a moço de maquinas pois daqui a pouco não vai ter marinheiro de maquinas o suficiente para suprir as nescecidades do mercado !

  3. Trabalho na Bram Offshore como MNM e acredito que melhor que a comparação entre as classes é a colaboração entre elas, sendo fundamental para criar um ambiente saudável e produtivo, pois é ali que passamos boa parte de nossas vidas e é necesário que haja harmonia.
    Estou fazendo ascensão para condutor e se tiver que trocar de embarcação, espero encontrar uma equipe como a que tenho hoje.
    abraços a Emensom 2om, Oscar 2om, Aaron Cdm, Greg Chefe Maq.

Deixe uma resposta