Rapidinhas do Portal – Corre que elas estão chegando!

0
294

Lá vêm as Rapidinhas!!!

Rapidinhas do Portal. A jato! Quer dizer… no turbo-hélice mesmo, mas vai ser a jato em breve, afinal, elas acabaram de voltar. EAS se ajeitando para garantir o futuro, ANP de olho em quem está lesando os impostos e CEO da BP declarando que o mercado do petróleo está estável. Nas rapidinhas de hoje tem de tudo!

EAS negocia US$ 1,7 bi em pedidos – O Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em uma estratégia para manter suas operações mesmo sem encomendas da Petrobras, garantindo mercado para o período após 2019, assinou, na semana passada, uma carta de intenções (ou memorando de entendimentos) com a South American Tankers Company (SATCO) para construir cinco navios Suezmax DP. Esses navios ainda não estão afretados a ninguém. Vale lembrar que o EAS já havia assinado um outro acordo com esta mesma empresa para construir outros oito navios tanque. Em se confirmando todas as encomendas, o EAS terá contratos no valor de US$ 1,67 bilhão (R$ 5,4 bilhões) até 2022. 

ANP investiga sonegação de impostos – A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) está investigando petroleiras quanto a sua probidade em relação aos impostos recolhidos sobre o petróleo produzido no Brasil, após identificar um comportamento atípico nos preços praticados, afirmou nesta segunda-feira o diretor da autarquia Waldyr Barroso. O Diretor informa que na investigação (que já dura 4 meses), já foram identificados dois casos em que as empresas mudaram os preços de venda de forma anormal e isso levantou sérias suspeitas.

CEO da BP declara que mercado está em equilíbrio – Durante a Conferência Mundial de Energia, realizada em Istambul, na Turquia, Bob Dudley declarou que o mercado do petróleo está praticamente em equilíbrio, com produção diária de um milhão de barris. O executivo espera o barril do dólar se estabilize em US$ 53 no ano que vem, número ligeiramente abaixo dos US$ 60 esperados anteriormente. Dudley informa que a BP vem tomando medidas que possam manter a sustentabilidade dos negócios, mesmo num abiente tão difícil com oscilações de mercado e preço do petróleo bastante volátil.

Por Redação

Deixe uma resposta