Governo Federal admite negociar municipalização do Porto do Rio

0

Porto do Rio

Apesar de complexa, o Governo Federal deverá ter “boa vontade” com a proposta do prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), de municipalizar a gestão do Porto do Rio. O Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, disse que a intenção da prefeitura ainda é uma “ideia embrionária”, mas se colocou à disposição para debater a possibilidade.

— Isso é uma discussão que envolverá o governo inteiro, mas teremos toda a boa vontade em conversar — disse Quintella ao GLOBO.

O Ministro já tratou do tema diretamente com o atual senador, que esteve em Brasília nesta semana, e, agora, sua equipe vem promovendo estudos e levantamentos sobre as consequências de uma eventual municipalização do porto. Crivella também levou a proposta na terça-feira ao Presidente Michel Temer, assim como a ideia de municipalização de nove hospitais federais.

O Porto do Rio, como os de Itaguaí e Niterói, é administrado pela Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), empresa sob gestão federal. Já existem outros portos federais no país delegados a cidades, como o de Itajaí (SC).

Quintella destacou que o Porto do Rio é estratégico para o país, contando, inclusive, com previsão de novos investimentos, como um novo terminal de trigo a ser leiloado e a renovação antecipada do terminal de passageiros, o Píer Mauá, já tramitando no governo federal. O terminal de trigo, cujo leilão está previsto para 2017, deve atrair R$ 62,7 milhões em investimentos. O Ministro ratificou estar aberto às propostas de Crivella:

— Uma boa conversa não faz mal a ninguém.

Segundo o ministro, Crivella também lhe disse que pretende obter retorno financeiro com o porto, mas Quintella ressaltou que atualmente o empreendimento tem resultado deficitário, além de um grande passivo financeiro.

Na terça-feira, o prefeito eleito disse que, se o porto for transferido para a gestão municipal, ele poderá injetar R$ 100 milhões por ano no caixa da Prefeitura.

Na próxima semana, uma cerimônia no Planalto deverá registrar a assinatura dos dois primeiros arrendamentos do Projeto Crescer, ligado ao Programa de Parcerias de Investimento (PPI): o terminal de contêineres de Salvador e um terminal de fosfato em Paranaguá (PR).

Fonte: Danilo Fariello / O Globo

Por Redação

Deixe uma resposta