Previsões da OPEP indicam forte demanda de petróleo para 2017

0

Mohammed Sanusi Barkindo

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) espera que a demanda por petróleo em 2017 seja tão robusta quanto a deste ano, disse o Secretário-Geral do grupo em uma conferência do setor de energia nesta segunda-feira na Índia, embora o recente acordo para limitar a produção dentro do grupo possa elevar o preço para os compradores.

Mohammed Sanusi Barkindo disse em coletiva de imprensa que a Ásia deverá ter um papel importante no crescimento da demanda e que há bastante espaço para a Opep e países de fora do grupo crescerem no mercado global de petróleo.

— Nós queremos que os níveis de estoque fiquem numa média dos últimos cinco anos, não mais nem menos que isso — disse o executivo. 

Na semana passada, a Opep fechou seu primeiro acordo de corte de produção desde 2008, buscando reduzir a produção em 1,2 milhão de barris por dia (bpd) a partir de janeiro, para enxugar o excedente global de oferta e impulsionar os preços. A organização espera contar com cortes de outros 600 mil bpd de países de fora do grupo.

Barkindo disse que a Opep convidou países não membros para uma reunião em 10 de dezembro para discutir suas contribuições. Foram convidados Rússia, Colômbia, Congo, Egito, Cazaquistão, México, Omã, Trinidad e Tobago, Turcomenistão, Uzbequistão, Bolívia, Azerbaidjão, Barein e Brunei.

Os preços do petróleo operavam perto de uma máxima de 16 meses nesta segunda-feira, na esteira da decisão da Opep. O barril da commodity tipo Brent chegou a ultrapassa o patamar de US$ 55.

A alta tem preocupado grandes importadores como a Índia, que compra no exterior mais de 80% do petróleo bruto que consome.

O Ministro de petróleo da Índia, Dharmendra Pradhan, disse no encontro que os países produtores “precisam casar segurança de oferta com segurança de demanda” ao decidirem seus preços.

PRODUÇÃO RECORDE DO CARTEL

A produção de petróleo da Opep bateu novo recorde em novembro antes do acordo para cortar a produção, mostrou uma pesquisa da Reuters nesta segunda-feira, com um impulso das exportações iraquianas mais fortes e barris adicionais de dois países que foram isentos dos cortes, Nigéria e Líbia.

A mais recente alta na oferta significa que a Opep terá um trabalho maior em cumprir o plano de limitar a oferta a partir de 2017, seu primeiro acordo de redução de produção desde 2008.

A oferta da Opep subiu para 34,19 milhões de barris por dia em novembro ante 33,82 milhões de bpd em outubro, segundo a pesquisa que se baseia em dados de embarques e informações de fontes da indústria.

Segundo a pesquisa de novembro, a Opep está bombeando 1,69 milhões de barris por dia acima da meta de produção de 32,50 bpd estabelecida no acordo na última semana para ser adotado a partir de janeiro de 2017.

Fonte: Reuters

Por Redação

Deixe uma resposta