Incidente com helicóptero Sikorsky S-92A acende a luz amarela na Aviação Offshore

4

A Sikorsky, conhecida fabricante de helicópteros,  recolheu temporariamente todos os helicópteros usados para fazer o transporte de trabalhadores para bordo das unidades offshore no setor britânico do Mar do Norte.

Conforme divulgado pela BBC , todos os Sikorsky S-92A foram recolhidos e os operadores deverão proceder com verificações de segurança no rotor de cauda imediatamente, sendo esta uma medida de precaução visando a segurança das operações.

O incidente deixou marcar no heliponto da plataforma

O recall foi realizado após o último acidente ocorrido no dia 28 de dezembro, quando um Sikorsky S92, operado pela CHC Helicopters, que partiu de Aberdeen para a troca de turma das plataformas do Campo de Elgin-Franklin,no Mar do Norte, deixou arranhões no heliponto da plataforma West Franklin, operada pela Total no Mar do Norte. No incidente, o helicóptero girou em torno do próprio eixo mais de uma vez, após passar por dificuldades técnicas, mas nenhum dos nove passageiros se machucou.

Segundo declarações oficiais da empresa CHC Helicopters, a aeronave passou por dificuldades com respostas inesperadas aos comandos dos pilotos durante aterrissagem na referida plataforma. A empresa também informa que está dando todo o suporte necessário para a investigação do incidente a UK Air Incidents Investigation Branch (AAIB), órgão oficial do Governo Britânico para investigação de acidentes aéreos.

O interessante é que a AAIB só foi informada no ocorrido no dia 5 de janeiro.

Durante a investigação do incidente, foi verificado que havia danos no servo pistão que controla o rotor de cauda. O rolamento do eixo que controla o passo do rotor (para variar sua velocidade) foi encontrado em péssimas condições, fruto de sobreaquecimentos que geraram danos nos pistões primário e secundário, resultando na perda total do controle de cauda da aeronave, como pode ser visto na foto abaixo:

Rolamento do eixo de controle do passo do rotor de cauda foi encontrado em péssimas condições

Maiores detalhes podem ser verificados no relatório oficial da AAIB, que pode ser acessado clicando aqui.

A CHC Helicopters é a operadora do Super Puma que caiu a cerca de nove meses no setor norueguês do Mar do Norte, matando todas as 13 pessoas que estavam a bordo.

Após o incidente, a Agência Europeia de Segurança na Aviação baniu temporariamente este modelo de aeronave de qualquer voo, através deportaria emitida em Outubro e no mês passado a Statoil baniu definitivamente a aeronave de suas operações,mesmo que a Agência Norueguesa de aviação,que seguiu a portaria da Autoridade europeia, suspenda a portaria.

Estaríamos sendo levianos se afirmássemos que essas verificações não foram efetuadas aqui no Brasil, por isso, somente para reforçar, pois estamos falando da segurança de milhares de trabalhadores offshore,esperamos que as autoridade brasileiras estejam atentas a isso e que as empresas proprietárias de helicópteros Sikorsky S-92A e Super Puma estejam bastante atentas e procedam com as devidas providências para aumentar ainda mais o nível de segurança de voos offshore.

A Petrobras, maior operadora petrolífera do Brasil e consequentemente maior demandante desses serviços possui uma gerência específica para isso e esperamos que a mesma já tenha feito algo e o mesmo vale para as demais petrolíferas.

A informação que temos é que o contrato deste modelo de aeronave não foi renovado pela Petrobras para 2016, mas como não veio de fontes oficiais, não podemos afirmar isso de maneira segura.

Aeroportos de Macaé, Jacarepaguá, Cabo Frio, Aracaju, Vitória e muitos outros recebem quase que diariamente esses guerreiros que arriscam suas vidas em alto mar e que agora também se arriscam no trajeto até suas unidades, juntamente com os pilotos.

Esperamos sinceramente ter contribuído para a Segurança de Voo.

Por Rodrigo Cintra

4 COMENTÁRIOS

  1. O cancelamento de Contrato não é verdade, embarquei no dia 11/01/2017 em um S92 da BHS, depois de aguardar 36 horas devido ao cancelamento do voo ocasionado pelo recall

    • Prezado Eduardo

      Então a situação era preocupante.
      Que bom que os voos continuam após o recall.
      Obrigado por sua participação.

  2. Sou piloto tanto de EC225 quanto de S92, na BHS, empresa que trabalho há mais de 20 anos.
    Posso assegurar-lhes que, quaisquer diretrizes de manutenção expedidas pelo fabricante ou pelas autoridades aeronáuticas, são cumpridas de acordo com o Boletim de segurança. Expecificamente nesse caso, o boletim foi divulgado após o encerramento dos voos em um dia, e as aeronaves ficaram cumprindo inspeções durante o dia seguinte inteiro, para só voarem no dia seguinte.
    O Sr. Eduardo está certíssimo.
    Quaisquer insinuações de que as Empresas operadoras no Brasil não cumprem os Boletins de Segurança, não passam de especulações sem fundamentos. A aviação é um trabalho sério, que não deixa brechas para as Empresas trabalharem de forma diferente.
    Respeitosamente.

    Venceslau

    • Venceslau

      Obrigado pelos esclarecimentos.
      Não houve insinuação alguma, mas sim informações que recebemos de que os contratos dos S-92 não teriam sido renovados.
      Não se aonde ficou caracterizado alguma insinuação de que vocês não cumpriram algum boletim de segurança.
      Outra coisa. Há muita gente “estrela” no seu setor infelizmente. Não fossem esses, as informações fluiriam de forma bem melhor.
      Parabéns por ter vindo aqui e nos esclarecido a respeito do ocorrido.

Deixe uma resposta