Deep Sea, Solstad e Farstad aprovam fusão e criam gigante no Apoio Marítimo

2

A fria Noruega traz uma notícia quente e que vai movimentar o mercado offshore.

Após muitas reuniões, especulações e principalmente articulações feitas pelo magnata da navegação John Fredriksen (JF) para que sua fortuna seja salva, armadores noruegueses acordam fusão que cria uma gigante que que vai se chamar “Farstad Solstad” e que certamente tem tudo para liderar o mercado de Apoio Marítimo.

O acordo foi feito em cima de um plano de reestruturação financeira da Farstad e o Portal Marítimo havia comentado recentemente o que ocorria nos bastidores (clique aqui para acessar), quando Deep Sea Supply e Solstad Offshore eram vistas como possíveis parceiras numa reestruturação. A fusão entre Solstad e REM,ocorrida no ano passado e noticiada pelo Portal Marítimo (acesse clicando aqui) já sinalizava esta tendência.

Porém, o que esperávamos era “uma ou outra” e não “as duas”.

O que mais se destacou, mais uma vez, foi a capacidade de John Fredriksen em costurar bons negócios, negociando aqui e ali através das empresas que controla.

Isso abertamente, pois nos bastidores tivemos o polêmico milionário Kjell Inge Røkke e o Diretor Øyvind Eriksen, ambos da Aker, ajudando neste desfecho.

Os funcionários da Solstad foram informados hoje pela manhã em reunião no escritório de Skudneshavn, Noruega.

O Vice Diretor Geral Sven Stakkestad e o Diretor Geral Lars Peder Solstad passaram o comunicado aos funcionários hoje pela manhã.
A notícia foi muito bem recebida pelos funcionários no escritório da matriz da Solstad Offshore em Skudneshavn, Noruega

Através de comunicado ao mercado, a Farstad informou que o negócio envolveu diversas empresas: Farstad, Aker, Hemen (empresa indiretamente controlada por JF), F-Shiplease (subsidiária da Ocean Yeld), as empresas da família Solstad e a Deep Sea Supply.

Na prática, as frotas da Farstad, Solstad Offshore e Deep Sea Supply serão combinadas e de cara já se pode ter uma dimensão do gigante que estão criando e todo o potencial desta nova organização, que vai operar globalmente. Notem que não é apenas o caso de “juntarmos uns barcos”,como as empresas que fazem cobertura de bandeira costumam fazer, mas sim de combinar frotas de alta tecnologia, marítimos altamente treinados e qualificados e uma força de trabalho em terra com características ímpares, criando um ambiente altamente diverso em que a capacidade de se criar novas soluções talvez seja o principal trunfo,ainda mais em meio a uma crise com esta que afeta toda a cadeia do petróleo.

Para os que ainda não entenderam, estamos falando de uma frota combinada de 154 embarcações de todo tipo. Se falarmos apenas de Offshore Supply Vessels, é a maior e mais moderna frota disponível e se incluirmos os demais navios das diversas classes, teremos a quarta maior empresa de navegação do mundo.

São 66 PSVs (Navios de Suprimento), 55 AHTSs (Manuseio de Âncoras)e 33 CSVs (Lançamento de Linhas / Construção Offshore).

Na proposta apresentada pelas partes envolvidas, a Solstad é indicada como a empresa mãe, ou seja, toda a frota deve ficar sob a bandeira da Solstad Offshore.

Jon Are Gummedal, CEO da Deep Sea Supply, declarou que a fusão proposta é extremamente necessária para a reestruturação do mercado de OSVs e vai permitir que a nova empresa consiga boas sinergias através de operações eficientes e um custo menor.

A nova organização, como já mencionado acima, vai se chamar Solstad Farstad Group e será estruturado nos pontos fortes das três empresas envolvidas, combinando o melhor de cada uma: a competência da Solstad na operação de CSVs, a experiência da Farstad na operação de AHTSs (bem como sua boa posição nos mercados de Brasil e Austrália) e o modelo financeiro e operacional extremamente eficiente na gestão de custos para PSVs apresentado pela Deep Sea Supply.

As empresas combinadas devem gerar anualmente algo em torno de US$ 55 a 73 milhões em sinergias de custos e receitas.

O CEO da nova empresa deve ser o nosso já conhecido Lars Peder Solstad e o escritório central será na pacata Ilha de Skudneshavn, na Noruega e até que toda esta operação esta concluída,as empresas continuarão operando da maneira que se encontram no momento.

Agradecemos à Solstad Offshore pelas fotos gentilmente cedidas.

Por Rodrigo Cintra

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta