Portos precisam de investimentos para importação de combustível

0

Representantes de portos brasileiros e profissionais ligados a investidores estrangeiros da área de combustíveis derivados do petróleo reclamaram da legislação portuária no que se refere a novos investimentos para ampliação de importação do combustível produzido em outros países. A Diretora Presidente do Porto de Cabedelo (PB), Gilmara Temóteo, disse que, com o aumento do preço do combustível da Petrobras, a importação desse ativo vem aumentando, mas o terminal não comporta a demanda com os tanques atuais.

“Os revendedores estão buscando alternativas mais baratas. Eles estão querendo comprar combustível estrangeiro, que é muito mais barato. Eu já comecei a receber combustível dos Estados Unidos, tanto gasolina como diesel. O que a gente não tem é área para se construir novos tanques. Eu recebo por mês pelo menos dois investidores interessados em novas áreas para receber o combustível estrangeiro”, afirma.

Gilmara diz que, dos 80 mil metros cúbicos recebidos para abastecer a Paraíba por mês, 10 mil metros cúbicos já são de fora do país. E a tendência é crescer, segundo ela. “Área nós temos, o que não conseguimos é licitar porque a legislação [Lei 12.815/2013] não permite, porque fica concentrado em Brasília”, critica.

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil foi convidado a participar do lançamento do programa Combustível Brasil, mas não enviou representantes. A ausência do órgão foi sentida pelos participantes. “Não tem sentido tratar de combustível sem a presença do ministério que administra o setor portuário”, disse Gilmara.

Fonte: Sumais Villela / Agência Brasil

Por Redação

Deixe uma resposta