DP Sem Aventura é o melhor DP

4

Operar um equipamento DP é 99% observando e 1% de aventura. Como DPO’s, nós somos treinados para esse 1%. Muitas vezes trabalhar no DP consiste apenas em monitorar o sistema, existem várias vezes que a operação feita pela embarcaçao não necessita de movimentos da mesma, principalmente no caso da perfuração, onde em alguns casos isso irá acontecer por semanas, onde o máximo que você irá fazer será mover 5 graus para bombordo!

O perigo está aí, não pode distrair.

O DP é uma tarefa calculada, com movimentos sendo planejadas cuidadosamente para ter a certeza que a situação e o cuidado serão mantidos. Quando todos os sistemas estão em perfeito funcionamento este sistema pode se tornar enjoado, isso tem que ser vencido! visto que as consequências podem ser desastrosas…

Os DPO’s devem cultivar a atenção sempre, assim que você estiver operando a embarcação e todos seus sistemas, uma pequena diferença tem que ser identificada IMEDIATAMENTE e ser corrigida rapidamente.
Com que velocidade você irá reagir se estiver com a atenção em uma revista?

Mesmo que em boa parte do tempo o serviço no DP consista em simplesmente monitorar, é serviço do DPO observar vários fatores, tais como:

  • Tempo
  • Proximidades de outras embarcações
  • Energia disponivel
  • Permissões de trabalho abertas

Observar as condições do tempo, notificar qualquer mudança e ter a certeza que a redundância está sendo mantida é primordial! Isso irá permitir que você faça as decisões corretas relativas à operação

Questione TUDO

Quando estiver em uma operação onde o DPO é totalmente envolvido, como por exemplo, lançamento de linha, um bom operador irá rapidamente se introduzir e se envolver no sistema. Quando estiver sincronizado com todos os componentes do sistema, uma mudança minima será notificada imediatamente.

“Porque o trim acabou de mudar?”

Eles moveram algo no convés?

Os Maquinistas iniciaram transferência de óleo diesel?
Alguma válvula de lastro danificada?

Tudo deve ser questionado até a causa ser descoberta, não importa o quão minimo é. Como a tecnologia a bordo continua a melhorar, falhas ocorrem com menor frequência, e isso leva o DPO a acreditar em uma falsa “segurança”, e ele tem que evitar isso.

O 1%

Quando as coisas não vão bem a bordo tendem em uma velocidade que não acreditamos, uma falha mínima leva o gerador a trepidar, o que leva ao outro, e finamente em segundos você está operando um DP com um gerador e metade dos thrusters, com mergulhadores na água.

Uma rápida e calma reação é necessária nessas situações, e a única forma de atingir isso é atráves de:

Experiência, Planejamento, Monitoramento Constante do Sistema, Imaginar cenários na cabeça, e entao discutir isso com outro DPO, Imediato ou Comandante.

Os 99%

Os 99 % do tempo que você passa no DP onde tudo está conforme planejado deve ser passado no pensamento no trabalho, e mantendo o 1% sempre na mente e sempre se questionando:

O que eu irei fazer se alguma coisa der errado?

Por Felipe Marques

4 COMENTÁRIOS

  1. Legal Felipe!! Estou engatinhando nesta profissão e tenho dúvidas e até um pouco de medo. Na verdade, “medo” não é a palavra mais correta.

    A grande verdade é que eu sei da RESPONSABILIDADE que é ser DPO em unidades marítimas. Isso já é um passo (bastante largo) para que eu nunca pare de me aperfeiçoar e, sempre, questionar qualquer coisa!!

    Valeu pelo post!

  2. Muita gente ainda vê o DPO como “o cara que fica no joystick” e não se dá conta da responsabilidade que ele tem nas mãos.
    Felipe, esperamos que você sempre possa presentear-nos com matérias como essa, pois é muito esclarecedor.
    Parabéns pela matéria!

  3. Valew cintra e cadu

    Realmente o cara que fica no joystick, porém, a diferença do DPO é essa

    ficar sentado, qualquer pessoa fica.

    o negócio é saber fazer a coisa certa, tomar a ação correta na hora que pega.

    • Felipe, boa noite !
      Me chamo Luciana e gostaria de saber como faço pra atuar como DPO na area offshore. Quais cursos tenho que ter e fazer ?
      Obirgada pela atenção e parabéns pelos artigos.

Deixe uma resposta