Mulher a Bordo?

12

No Dia Internacional da Mulher, resolvemos publicar um pequeno artigo escrito por nossa colega Oficial de Máquinas Nelsiane Carrara, que falou um pouco sobre o que vivenciou a bordo:

Estamos vivendo um momento em que a presença das mulheres no mercado de trabalho em diversas áreas vem tomando uma posição de destaque e ninguém duvidou que seria da mesma maneira na Marinha Mercante. Desde 1998, com o ingresso de mulheres na EFOMM, o espaço de trabalho a bordo vem sendo cada vez mais dividido entre homens e mulheres.

Por mais que já tenha algum tempo que as mulheres embarcam, é recente ainda  a mulher na Marinha Mercante  assumindo postos de Oficiais e tendo como subordinados muitos homens que, mesmo não gostando de ter uma mulher como superior, devem respeitar, pois o cargo foi conseguido com o mesmo trabalho que um homem teria. Hoje temos mulheres no comando de embarcações mercantes, o posto mais alto para um Oficial de Náutica e em breve teremos mulheres como Chefe de Máquinas na Marinha Mercante Brasileira.

Por muitas vezes tivemos e ainda temos que lutar para impor nosso respeito. Já não queremos ser tratadas de maneira diferente só porque somos mulheres, nem queremos ser poupadas do nosso serviço, muito menos que duvidem da nossa capacidade e não nos deixem fazer o nosso serviço. Somos mulheres que estudamos para chegar até onde chegamos, capacitadas, que nos dedicamos a nossa profissão em busca de nos estabelecermos como boas profissionais e que queremos chegar aos postos máximos, seja Comandante ou Chefe de Máquinas.

Nelsiane em sua Praticagem

Não deveríamos sofrer discriminação de nenhuma espécie pelo fato de ser mulher, queremos ser reconhecidas pelo espaço que conquistamos no nosso mercado de trabalho, como profissionais competentes e que merecem respeito dos companheiros de tripulação. Por outro lado, sei que também existem embarcações com tripulação que trata a mulher sem nenhum tipo preconceito, mas isso não é tão comum quanto gostaríamos. As embarcações que ainda tem profissionais com esse tipo de mente preconceituosa deveriam fazer alguma coisa para que isso mude.

Há dezenove anos só existiam quinze Oficiais do sexo feminino.

Hoje esse número já aumentou (e muito) e a tendência é que continue aumentando a cada ano.

Por Nelsiane Carrara

*Nota do Editor: A Equipe do Grupo Portal Marítimo deseja um feliz Dia Internacional das Mulheres para essas guerreiras que cumprem horários e fuso horários a bordo e que além de profissionais, são mães, esposas, filhas… São mulheres acima de tudo. Desejamos o mesmo para todas as esposas, mães e filhas de marítimos e embarcados que seguram as pontas e são verdadeiras parceiras daqueles que precisam se ausentar por dias, semanas ou meses. Essas mulheres que cuidam de suas vidas profissionais e ainda acabam tendo que administrar a rotina diária sozinhas. Não é nada fácil! Vocês são verdadeiras jóias.

Um abraço do amigo Rodrigo Cintra

12 COMENTÁRIOS

  1. Nelsiane, é isso aí.
    Mandou bem.
    Esse negócio de tratar mulher como ET a bordo não está com nada.
    Temos que começar a ver as colegas como profissionais. Cabe às colegas se fazerem respeitar e ao pessoal respeitá-las.

  2. Ja trabalhei com mulheres a bordo, digo pelo menos toda embarcação deveria tê-las, pois o ambiente melhora os colegas se cuidam melhor da aparencia e do vocabulário. Vejo como uma experiência das mais positivas, deve aumentar muito nos próximos anos o percentual de mulheres nos quadros das empresas podem apostar.

  3. Nelsiane,

    você está certíssima em dizer que não deveriam sofre nenhuma espécie de preconceito pelo fato de ser mulher. Pois já está mais que provado que as mulheres rendem tanto, ou mais, que os homens em determinadas atividades.

    Nunca se esqueça que vocês são profissionais!

    Parabéns pelo Texto.

  4. VIVA AS BARCAS S/A
    LAH TEM MOÇAS, MARINHEIRAS DE CONVÉS…
    DEVERIAM SIM TERSUBALTERNAS PELO MENOS 1 EM CADA BARCO, CAMAROTES INDIVIDUAIS JÁ.

  5. Minha namorada é offshore e admiro muito seu trabalho e sua dedicação, apesar da saudade nos períodos de embarque, não a vejo em outra atividade.
    O mundo está mudando e ainda precisamos melhorar bastante.

  6. A mulher só pode ingressar na Marinha Mercante através de curso para oficial ou pode também como aquaviário, por exempolo: moço de convés?

  7. Eu hoje Estou pesquisando o que ser quando ser mais velhar e adorei saber mais sobre as mulheres ki trabalham na marinha e como gostei Quero muito participar da marinha tbm ! tomara ki Eu chegui la com preconceito ou não

  8. Vou mim esfosar mais pra tbm participar da marinha tenho mais coriosidade Sobre as marinheras !! se podessem mim falar mais ameiiii *—* pois é do meu futuro ki estou falando

  9. Abro mão de muitas coisas para estudar todo ano para passar em um concurso militar.As vezes,me assusto com minha determinação.É chato vc tentar e não conseguir,mas só vou desistir se morrer!

Deixe uma resposta