Santa Catarina contará com mais um terminal portuário privado

0
Novo terminal fará parte do Complexo de São Francisco do sul

Santa Catarina vai contar com mais terminal portuário de uso privado (TUP) a partir de 2020. Trata-se do Porto Brasil Sul, um empreendimento multicargas, subdividido em sete terminais e projetado para operar 20 milhões de toneladas ano entre carga geral, granéis e contêineres. O novo TUP será implementado na região da Ponta do Sumidouro, Praia do Forte, na saída da Baía Babitonga. Comporá o Complexo Portuário de São Francisco do Sul.

O investimento será de US$ 1 bilhão, em recursos próprios da WorldPort, empresa especializada em projetos de infraestrutura de transporte de cargas, e pool de empresários locais e de São Paulo. Deve operar no sistema de Hub Port – porto concentrador de cargas e de linhas de navegação – do Mercosul, com capacidade para receber, após as obras de adequação dos acessos, navios da classe Post Panamax, as maiores embarcações de carga do mundo, com capacidade para até 15 mil TEUs (Twenty-foot Equivalent Unit – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés) e 220 mil toneladas, 397 metros de comprimento e calado de 15,5 metros.

A expectativa é de que gere 3 mil empregos em plena operação, com o aproveitamento da mão de obra local de São Francisco do Sul.

O projeto é uma iniciativa da WorldPort, empresa especializada em projetos de infraestrutura de transporte de cargas.

Sonho antigo – A iniciativa vem sendo estudada, planejada e avaliada desde 2010, pelo consórcio formado por investidores nacionais e internacionais. Porém, a localização privilegiada já havia sido apontada por um estudo do Governo Federal no começo dos anos de 1990.

Para os investidores, a localização na saída da Baía da Babitonga e em águas profundas, é estratégica. Além disso, o local possibilitará ao terminal uma boa retroárea primária e amplas retroáreas próximas. Eles acreditam que, nos moldes em que está sendo projetado, o empreendimento solucionará os gargalos logísticos das regiões Sul e Sudeste, tornando-as ainda mais competitivas nos mercados interno e externo.

Isso ocorrerá, principalmente, no comércio com o Sudeste Asiático, em razão da redução dos custos logísticos pelo uso de embarcações maiores e mais eficientes, que proporcionam uma melhor relação de custo e benefício.

Licenciamento ambiental – A Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) designou, em dezembro passado, equipe técnica para análise do Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (EIA/ RIMA) do empreendimento. A Portaria 017/2016 foi publicada no Diário Oficial do Estado de 13 de fevereiro.

Marcus Barbosa, Diretor do Porto Brasil Sul, informa que a audiência pública para o licenciamento ambiental deva ocorrer até a primeira semana de maio deste ano.

Fonte: Revista Portuária

Por Redação

Deixe uma resposta