Navio que havia acabado de sair do Brasil naufraga no Oceano Atlântico e deixa 22 desaparecidos

1
Foto: Santos-Brasil

Vinte e duas pessoas estão desaparecidas desde sexta-feira; Avião da Marinha do Brasil foi enviado para auxiliar nos resgates.

Um navio cargueiro sul-coreano, com 24 pessoas a bordo, desapareceu no Atlântico Sul depois de sair do Brasil. De acordo com a Marinha do Uruguai, indícios de naufrágio do Stellar Daisy, com mais de 260.000 toneladas, foram encontrados por navios mercantes, 3,7 quilômetros a leste do porto de Montevidéu. Até o momento, dois marinheiros filipinos foram encontrados em um bote salva-vidas e resgatados. Segundo os tripulantes, a embarcação em que navegavam se partiu. O chamado de emergência do Stella Daisy foi feito às onze e meia da manhã locais desta sexta-feira.

Segundo porta-voz da Marinha uruguaia, a tripulação enviou uma mensagem de texto informando uma “entrada de água” no navio de 312 metros de comprimentos e, depois, lançou um sinal de emergência. Os barcos uruguaios mercantes se dirigiram a essa parte do Oceano Atlântico, onde encontraram os dois filipinos resgatados. “Durante a noite de sábado, um navio visualizou manchas de combustível e resíduos, além de sentir um forte odor de combustível, o que dá indícios de que o navio acidentado tenha afundado”, assinala um comunicado.

De acordo com as autoridades coreanas, não havia brasileiros na embarcação. Dos 24 tripulantes, oito eram sul-coreanos e dezesseis filipinos. As buscas continuam e um avião da Aviação Naval Brasileira foi enviado para reforçar as operações de resgate.

Fonte: Veja

Por Redação

1 COMENTÁRIO

  1. Navios graneleiros de grande porte são bastante complexos e seu carregamento é muito delicado e preciso.
    Sujeitos a grandes esforços, o Imediato tem que ser muito preciso nesta operação e na sequência de deslastro.
    Encontrar trincas nas soldas depois de algumas operações é algo que acontece e o comprometimento estrutural acaba gerando um efeito dominó, fazendo que, em condições de mar, o navio “quebre”, provocando águas abertas e um rápido afundamento.
    Os “Capesize”, classe de navio construída a partir do final dos anos 70 tinham um histórico de mais de 100 naufrágios quando assumi como Imediato um destes navios nos anos 90.
    Os dois sobreviventes tiveram muita sorte.
    Há um caso famoso, que foi documentário do canal Discovery, de um navio que passou por isso: o Derby Shire.
    Abraços a todos,

Deixe uma resposta