FPSO Pioneiro de Libra chegou em águas brasileiras

0
Foto: Felipe Kateb Botelho

O FPSO Pioneiro de Libra, de propriedade da joint venture 50/50 formada pela Odebrecht Óleo e Gás (OOG) e a Teekay Offshore Partners L.P. (Teekay Offshore), chegou na quarta-feira, 17 de maio, em águas territoriais brasileiras. Esse FPSO será o primeiro a produzir óleo no campo de Libra.

A chegada estava prevista anteriormente para o final de maio, mas foi antecipada em 10 dias. A viagem começou com a saída do estaleiro Jurong, em Cingapura, onde o FPSO foi construído. O planejamento rigoroso e as condições climáticas permitiram que a viagem transcorresse com tranquilidade, mesmo em trechos mais sensíveis, e que a embarcação desenvolvesse uma velocidade média aproximadamente 25% maior do que o esperado. A viagem registrou apenas uma parada de 24 horas nas Ilhas Maurício para troca de tripulação e embarque de materiais e equipamentos.

Desde o batismo do FPSO, realizado em dezembro do ano passado, a embarcação passou por testes de comissionamento e de mar. Mais de mil atividades foram realizadas antes do embarque, entre elas, teste de inclinação e do sistema de propulsão. Durante a viagem ao Brasil, outros testes foram realizados e, após a chegada ao Brasil, a embarcação passará por processos de aprovação de entidades e órgãos fiscalizadores e da Petrobras. Em seguida, inicia-se a ancoragem e a conexão dos risers. O primeiro óleo está previsto para julho.

A embarcação será afretada e operada pela joint-venture OOGTK e realizará Testes de Longa Duração no Bloco de Libra, para o Consórcio formado pelas empresas Petrobras (Operadora, com 40%), Total (20%), Shell (20%), CNPC (10%) e CNOOC Limited (10%) que tem como gestora a Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA), por um período de 12 anos.

Construção

A construção do FPSO Pioneiro de Libra começou no final de 2014 no estaleiro Jurong, em Cingapura. A unidade poderá atuar em lâmina d’água de até 2.400 metros de profundidade e terá capacidade de produção de 50 mil barris de óleo por dia e de compressão e reinjeção de quatro milhões de metros cúbicos de gás/ dia.

Ao longo de mais de dois anos, aproximadamente quatro mil pessoas estiveram envolvidas no projeto, incluindo as atividades no estaleiro, com mais de 19 milhões de homens/horas trabalhadas, sem registro de nenhum acidente de trabalho com afastamento.

“Temos imenso orgulho de registrar a chegada do FPSO Pioneiro de Libra às águas territoriais brasileiras porque ele é um marco para a produção de petróleo no Brasil. Para nós, demonstra competência, capacidade de entrega, mesmo com cenário adverso, além de reforçar a parceria com a Teekay, uma vez que este é o segundo projeto que desenvolvemos juntos”, afirma Jorge Mitidieri, Diretor Superintendente de Serviços Integrados da Odebrecht Óleo e Gás.

Negócio

Os contratos de afretamento e operação do FPSO Pioneiro de Libra foram celebrados em outubro de 2014. No ano seguinte, a joint-venture formalizou o contrato de financiamento com bancos internacionais para a construção do navio.

O FPSO (Floating Production Storage and Offloading) é um tipo de navio utilizado pela indústria petrolífera para a produção, armazenamento de petróleo e/ou gás natural e escoamento da produção por navios cisterna (petroleiros). São empregados em locais de produção distantes da costa com inviabilidade de ligação por oleodutos ou gasodutos.

Por Redação

Deixe uma resposta