Breaking the Waves – Solstad Farstad inicia oficialmente suas operações após conclusão de fusão

2
1115

A quarta-feira foi marcada pelo último dia antes da conclusão da fusão das três grandes players norueguesas do Apoio Marítimo: Deep Sea Supply, Farstad e Solstad.

Segundo o CEO da nova empresa formada, a Solstad Farstad, é a partir de hoje, dia 22 de junho, que o trabalho realmente começa.

A fusão em questão é um divisor de águas no Offshore, e não será nada fácil.

São 152 navios dos mais diferentes tipos que agora serão combinados numa mesma frota. A administração contará com a expertise da Deep Sea Suply na operação com excepcional custo benefício, o grande conhecimento e liderança da Farstad na operação principalmente (mas não somente) de barcos de manuseio de âncoras (AHTS) e a influência e solidez da Solstad, além de sua expertise ligada principalmente ao que se refere à operação de grandes navios de lançamento de linhas e construção offshore.

São 33 navios de construção offshore, 64 PSVs e 55 AHTSs.

A fusão marca uma combinação única de sinergias que resultará numa empresa com altíssima capacidade para atender qualquer demanda de qualquer cliente, criando inúmeras oportunidades de negócios.

Apesar de não ser fácil, as excelentes equipes das empresas envolvidas certamente farão da melhor forma possível, e estamos falando de equipes realmente de ponta.

Ao longo dos últimos meses as três empresas trabalharam integradas e procuraram trocar sinergias, fechando e unificando processos para que a fusão fosse feita da melhor maneira possível. Agora é o momento de se trabalhar duro para atingir os novos objetivos delineados.

Com a conclusão do negócio, as ações da Deep sea Supply e da Farstad foram retiradas do pregão da Bolsa de Valores de Olso / Noruega e a Solstad passa a ser uma “parent firm” da nova organização Solstad Farstad, sendo controlada pela mesma, que tem na data de hoje seu primeiro com ações sendo negociadas no Mercado, com 202 milhões de novas ações a serem emitidas até o dia 26 de junho.

A fusão ocorre em meio a um mercado nebuloso, fortemente afetado pela baixa nos preços do petróleo e onde somente os melhores sobreviverão. Mais que isso, empreender qualquer caminho novo neste momento é algo que somente as grandes organizações podem fazer, sendo necessário uma equipe de altíssimo nível, tanto na administração como na parte operacional, para que realmente dê certo.

Essa é a nova “cara” da empresa – BREAKING THE WAVES!

E é justamente isso que temos aqui: um alto nível de conhecimento e capacidade técnica e operacional agora completamente unificado. Essa fusão vai mudar a maneira como o mercado interage com as operações offshore. As demais empresas agora disputam uma gorda fatia de mercado com uma empresa gigante.

Fora o tamanho da frota, o que temos agora é um nível bastante alto de conhecimento agora combinado numa mesma organização, o que já faz a concorrência se movimentar para encarar de forma competitiva.

A fusão marca uma combinação única de sinergias que resultará numa empresa com altíssima capacidade para atender qualquer demanda de qualquer cliente, criando inúmeras oportunidades de negócios para a nova empresa e para as operadoras e petrolíferas que esperam os melhores serviços com altíssima tecnologia embarcada em suas unidades.

Nova estrutura executiva da empresa:

Os funcionários brasileiros das empresas envolvidas tiveram hoje uma conference call com o CEO da Solstad Farstad, o sr Lars Peder Solstad, para as boas vindas à nov organização e recebimento de novas diretivas.

Em breve esta reformulação deve modificar a cara das empresas aqui no Brasil.

A alta administração da nova organização é formada pelos seguintes executivos:

Terje Vareberg (Presidente), Toril Eidesvik, Ellen Solstad, Frank O. Reite, Harald Thorstein, Sverre A Farstad e Merete Haugli.

Muito sucesso nesta nova fase e ótimos negócios podem resumir o que desejamos para a nova empresa.

Por Rodrigo Cintra

2 COMMENTS

  1. Que as empresas não esqueçam dos seus colaboradores que foram demitidos e que ainda buscam um recolocação no mercado.

  2. Que essas empresas nao esqueçam dos seus colaboradores que foram demitidos e que falaram que iam chamar de volta. Eu fui uma delas trabalhei na solstad offshore em 2015 eu e mais uma galera mas até hoje ninguém chamou!!! E lamentável a situaçao do brasil só jesus pra nos ajudar!!!

Deixe uma resposta