Movimentação de cruzeiros cresce, mas pode melhorar, segundo a Embratur

0

O movimento com passageiros de transatlânticos injetou R$ 1,9 bilhão na economia brasileira no ano passado. Mas o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Vinicius Lummertz, acha que é possível se alcançar melhores resultados, em um curto espaço de tempo. “ Podemos multiplicar isso infinitamente nos próximos anos pelo potencial dos nossos mais de 7 mil quilômetros de litoral”, afirmou Lummertz no lançamento do livro ‘Cruzeiros Marítimos – Surpresas, Descobertas e Riquezas Culturais’, do jornalista catarinense Moacir Pereira, no sábado (02/12) em Balneário Camboriú (SC).

A cidade foi escolhida para o lançamento porque nesta temporada passou a ser incluída no roteiro internacional de navios de cruzeiro, com 20 paradas previstas até março, trazendo à região 81 mil passageiros e tripulantes, injetando cerca de R$ 45 milhões na economia local.

Neste momento, o Ministério do Turismo investe cerca de R$ 18 milhões em parceria com o Governo do Estado e da prefeitura na construção do Centro de Eventos de Balneário Camboriú, cidade que também deverá receber recursos do BNDES para reestruturação da orla.

Citando o cenário cinematográfico do Atracadouro Barra Sul, do Grupo Tedesco, o presidente da Embratur lembrou que “não existe além do agronegócio nenhum campo econômico que apresente tantas possibilidades para o Brasil como as belezas turísticas do nosso país, que fizeram uma das principais revistas especializadas do planeta, a Condé Nast Traveller, eleger o Brasil como o país mais lindo do mundo, e a CNN a nos apontar como o mais legal do mundo”. Ao mesmo tempo, disse Lummertz, “o Fórum Econômico Mundial nos aponta como o primeiro lugar em potencial turístico, mas infelizmente ocupamos o 137º lugar entre 140 nações como um dos piores para realização de negócios turísticos no mundo”.

Para Lummertz, “o Brasil e Santa Catarina precisam aprender com as lições que vêm sendo oferecidas por Balneário Camboriú, que se transforma num dos grandes centros turísticos internacionais, graças a empreendedores como Júlio Tedesco, que investe na marina, no atracadouro, no parque Unipraias, e ao poder público municipal, sob a liderança do prefeito Fabrício Oliveira, que hoje faz a gestão da própria orla, busca recursos no BNDES e cria milhares de empregos e renda para toda esta região”. Lummertz informou ainda que nesta temporada o Brasil terá apenas sete navios de cruzeiro na sua costa, mas que no ano que vem este número poderá duplicar e “quem sabe rapidamente ultrapassaremos 2011, quando tivemos 20 transatlânticos percorrendo nosso litoral”.

Autor do prefácio do livro do jornalista Moacir Pereira, o presidente da Embratur anunciou que a obra será lançada nacionalmente em outros pontos turísticos do país. No seu agradecimento, o autor catarinense lembrou que “nosso estado entrou definitivamente no roteiro mundial do turismo e graças ao Grupo Tedesco é hoje vitrine internacional para o Brasil”. O prefeito Fabrício Oliveira também se referiu ao trabalho realizado pelo empresário Júlio Tedesco, “que soube empreender utilizando o que temos de mais valioso que é este cenário de cinema, gerando apenas na marina mais de 500 empregos e fazendo do Parque Unipraias uma verdadeira escola de educação ambiental”. Lembrou que a cidade agora está trazendo uma roda gigante idêntica à de Londres, na Inglaterra, que a orla será totalmente reestruturada, com apoio de recursos do BNDES, e até o ano que vem deverá ser inaugurado o Centro de Eventos com o apoio do Governo Federal.

Fonte: Brasilturis

Por Redação

Deixe uma resposta