Lançador de Linhas da McDermott chega ao Porto do Açu para operação no Campo de Atlanta

0
1524
Foto: McDermott

O PLSV North Ocean 102, da empresa McDermott, chegou ao Porto do Açu no início desta semana, já pronto para iniciar as operações no Campo de Atlanta, sob contrato da Queiroz Galvão E&P (QGEP).

O Mercado ficou sabendo do acontecimento através de um compartilhamento da foto no topo desta matéria feito pela empresa em um de seus perfis em redes sociais, onde a mesma informava que o navio estava pronto para operar no loadout dos sistemas de EPS (Early Production Systems) do Campo de Atlanta.

O navio, que possui 133,6 metros de comprimento por 27 metros de boca, é um lançador de linhas DP Classe 2, com propulsão diesel elétrica alimentada por 4 geradores de 3330 KW e garantida por 2 propulsores azimutais de 3500 KW cada, 1 azimutal retrátil de 1500 KW e 2 propulsores transversais de proa (bow thrusters) com 1500 KW cada. Essa propulsão, segundo a McDermott, leva o navio à velocidade econômica de 12 nós ou até a máxima de 15 nós.

Já as especificações da Planta de Lançamento são as que seguem abaixo:

Fonte: McDermott

A título de lembrança, a McDermott, juntamente com sua parceira GE Oil and Gas, havia ganhado um contrato SURF (subsea umbilicals, risers and flowlines), ou seja, um contrato para o desenvolvimento do projeto, fornecimento de equipamentos e instalação de umbilicais, risers e linhas submarinas, para os sistemas de EPS do Campo de Atlanta em 2015.

Foto: McDermott

A fase de EPS de Atlanta é a primeira do desenvolvimento do campo, localizado a aproximadamente 1550 metros de lâmina d’água no Bloco BS-4 da Bacia de Santos, a sudeste do Rio de Janeiro.

A McDermott é a responsável pelo projeto e instalação de todos os equipamentos submersos, incluindo as linhas flexíveis, umbilicais, conexões dos umbilicais, skids das bombas submersas, estacas de sucção e equipamentos relacionados e a GE Oil and Gas será responsável pelo fornecimento dos risers flexíveis, dutos e equipamentos relacionados.

FPSO Petrojarl I

Ficou acordado que o navio realizaria a operação assim que a FPSO Petrojarl I, contratada pela QGEP, chegasse no Brasil, porém, houve um atraso de dois anos nesta chegada, que deveria ocorrer em 2015, já que o Petrojarl I adentrou águas brasileiras no dia 31 de Dezembro e só chegou no Campo de Atlanta no dia 8 de Janeiro deste ano.

O Petroajrl I esteve em serviço no Mar do Norte por quase 30 anos, até que foi decidido pela Teekay fazer um upgrade na unidade e enviá-la ao Brasil, em um contrato de 5 anos com a QGEP. A FPSO deveria iniciar sua produção em meados de 2016, porém, devido a uma série de atrasos ocorridos no Estaleiro Damen, na Holanda, o data do primeiro óleo da unidade foi postergada.

A QGEP espera que a produção no Campo de Atlanta seja iniciada ainda no primeiro trimestre deste ano e atinja cerca de 20 mil barris de petróleo por dia, através de dois poços produtores. Todo o óleo produzido no campo na fase de EPS será comprado pela Shell.

*Com informações da Offshore Energy Today e McDermott

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta