Echidna e Kangaroo – Karoon recebe autorização da ANP para mudança de plano visando Declaração de Comercialidade

0
532

A empresa australiana Karoon Gas recebeu a aprovação das autoridades brasileiras para mudar o plano de trabalho em seus blocos aqui no Brasil, previamente apresentados e aprovados pela ANP, para que possa ir adiante com os projetos de Echidna e Kangaroo para uma futura fase de desenvolvimento.

A Karoon possui participação de 100% nos blocos S-M-1037, S-M-1101, S-M-1102, S-M-1165 e S-M-1166 na Bacia de Santos, localizada a aproximadamente 200 quilômetros da costa no estado de São Paulo.

As campanhas de perfuração da Karoon nos blocos da Bacia de Santos resultaram nas descobertas do óleo leve Kangaroo e Bilby em 2013, que foram seguidas pela descoberta do óleo leve Echidna no bloco S-M-1102 em 2015.

Conforme relatado no início deste ano, a Karoon já lançou uma licitação para selecionar fornecedores para o desenvolvimento de Echidna. O trabalho de Front End Engineering and Design (FEED) começou em julho de 2017 e deverá estar em andamento agora no primeiro semestre de 2018.

Na terça-feira, 20 de fevereiro, a Karoon anunciou “um desenvolvimento positivo” no processo FEED para a proposta de desenvolvimento de óleo leve da Echidna.

Ou seja, para emitir uma Declaração de Comercialidade sobre as descobertas do petróleo Echidna e Kangaroo, a Karoon recebeu agora uma aprovação da ANP para uma mudança no programa de trabalho já existente para esses projetos.

Projetos da Karoon

Os projetos da Karoon Petróleo e Gás que tiveram seu plano modificado são os blocos de exploração SM-1037, SM-1101, SM da Bacia de Santos -1102, SM-1165 e SM-1166, retirando assim os compromissos da fase de avaliação para perfurar dois poços e adquirir sísmica 3D, para que possa seguir com os projetos Echidna e Kangaroo para uma futura fase de desenvolvimento.

Além disso, a ANP decidiu fechar o período de avaliação atual, informou Karoon.

A Karoon apresentará o Relatório Final de Avaliação e apresentará um pedido de Declaração de Comercialidade sobre essas áreas.

De acordo com a empresa, a aprovação para modificar o programa de trabalho e retirar os compromissos de perfuração e sísmica nos blocos, que representou uma parcela significativa dos compromissos de exploração e avaliação do grupo, proporciona maior certeza dos futuros requisitos de custo de desenvolvimento e é positivo para que se execute os processos de oferta (tender) e farm-out dos campos.

As informações são do OET.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta