Codesa e Secretaria dos Portos debatem portos do Espírito Santo

0
488

Representantes da Secretaria Nacional dos Portos (SNP) e da Codesa, por meio da Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento (DIRPAD) apresentarão, nos próximos dias 5 e 6 de março, a atualização do Plano Mestre dos Portos de Vitória e Barra do Riacho. Na pauta, os principais temas estão agrupados em quatro eixos principais: gestão portuária, acesso ferroviário, relação porto-cidade e outras demandas acerca de investimentos.

Quanto ao primeiro tema serão debatidas as ações comerciais realizadas pela Autoridade Portuária e promoção dos portos de Vitória e Barra do Riacho; o planejamento comercial e indicadores de desempenho; a situação dos contratos de arrendamento em vigor e áreas arrendáveis; levantamentos sobre a exploração de áreas públicas; perspectivas de novos investimentos (projetos de ampliação); as ferramentas de planejamento utilizadas pela Autoridade Portuária (Planejamento estratégico e sistemas automatizados de gestão), monitoramento e cálculo de indicadores gerenciais. Sobre acesso ferroviário, o debate será sobre a previsão de investimentos no modal ferroviário, incluindo o projeto da EF-118 – Estrada de Ferro que ligará portos capixabas a portos do Rio de Janeiro.

Na relação Porto-Cidade os subtemas são: a importância do Porto para o desenvolvimento econômico, social e urbano da região, geração de empregos e atração de investimentos; a relação com outras atividades locais, como o turismo, o esporte aquático e a atividade pesqueira; existência de comunidades e ocupações urbanas no entorno portuário e dos acessos que dificultem ou que possam ser impactadas pela atividade portuária ou por obras de expansão e, caso exista, quais as ações para solucionar a situação; novos projetos de expansão e revitalização das instalações portuárias, do entorno portuário e as ações socioambientais praticadas nas comunidades vizinhas.

No quarto eixo serão debatidas questões sobre perspectivas de curto e médio prazo voltadas para a movimentação de cargas pelo complexo portuário, expectativas de novos investimentos e atração de cargas que possam impactar a demanda de movimentação no porto de Vitória. O Plano Mestre visa contemplar desde a descrição das instalações atuais, até a indicação das ações requeridas para que o porto venha atender maiores demandas de movimentação de cargas até 2030.

*com informações da CODESA

Por Redação

Deixe uma resposta