Porto de Itajaí – Berços públicos registram crescimento de 29% no primeiro bimestre

0
281

Destaque ficou com o aumento de atracações e tonelagem. Essa foi a segunda melhor movimentação desde julho de 2015. Como previsto pelo setor de Estatísticas e Gerência de Operações da Superintendência do Porto de Itajaí, o primeiro bimestre de 2018 demonstrou o que se previa quanto a sua movimentação portuária do Complexo.

Prova disso pôde ser registrado no mês de fevereiro, destacando sua recuperação devido ao aumento de linhas nos berços 1 e 2 na margem direita (porto público – área da APMT), que é a empresa arrendatária do Porto de Itajaí, e que depois de dois anos e meio (31 meses), apresentou excelentes números em escalas e tonelagem.

De acordo com o relatório final de estatísticas, fevereiro registrou 77 escalas de navios atracados no Complexo, sendo 31 escalas na APM Terminals. A movimentação nos berços públicos (APM Terminals) elevou no acumulado do ano (primeiro bimestre) para 54 atracações e registrou um crescimento de 29% em relação ao ano anterior, quando foram somados na época 42 navios atracados.

Foi registrado ainda uma movimentação de 981.913 toneladas e em específico, na APM Terminals, foram movimentadas 327.855 toneladas, sendo a segunda melhor movimentação registrada na margem direita desde julho de 2015, quando na época foram movimentadas 333.080 toneladas. Somando os dois primeiros meses de 2018, comparados com o mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 33% na movimentação de toneladas.

Na movimentação total do complexo no segmento de cargas contêinerizadas no mês de fevereiro foram registrados 81.961 TEU’s (Twenty Foot Equivalent Unit – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés de comprimento), e na APM Terminals 27.559 TEU’s. Houve uma queda de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior, em 2017.

No período de março de 2017 a fevereiro de 2018 (últimos 12 meses), foram movimentados 221.399 contêineres (TEU’s), com 2.180.360 toneladas, verificando-se um crescimento de 12% em relação ao período de março de 2016 e fevereiro de 2017, quando foram movimentados 197.939 contêineres (TEU’s) com 1.920.343 toneladas.

Somente em relação à movimentação total do mês de fevereiro de 2017 e fevereiro de 2018, a APMT registrou um crescimento de 78% e no complexo 2%. De acordo com o Assessor de Direção da Superintendência, Héder Cassiano Moritz, esse acréscimo registrado em fevereiro de 2018 tem suas justificativas:

“Na margem direita do rio, onde está situado o porto público, ou seja nos berços 1 e 2, esse reflexo vem sendo comprovado, e consequentemente com o berço 3 totalmente recuperado e concluído, que em pouco tempo já estará sendo utilizado para operações de atracações no cais, os resultados tendem a aumentar significativamente . As melhorias internas de infraestrutura que também estamos fazendo em áreas de pátios de armazenagem e canteiro de obras (porto público) somadas ao aumento de escalas de navios efetuadas através de novas linhas de atracações proporcionaram esse avanço. Este primeiro bimestre já aponta uma recuperação na movimentação de cargas no Complexo Portuário como um todo. Possivelmente teremos um primeiro trimestre com números positivos e esse é um excelente indicativo para o restante deste ano”, concluiu.

No Terminal PORTONAVE (Navegantes), 42 escalas foram registradas no mês de fevereiro e sua movimentação total de cargas foi de 632.009 toneladas com 54.402 TEU’s movimentados, elevando sua movimentação acumulada do ano para 1.402.591 toneladas, com 100 escalas no primeiro bimestre de 2018.

Os demais terminais privativos registraram as seguintes movimentações de navios e cargas no mês de fevereiro: BRASKARNE (3 escalas) com 20.725 toneladas e crescimento de 61% – TEPORTI (1 escala), com 1.324 toneladas e crescimento de 54% – POLY TERMINAIS (sem escalas). Estes terminais demonstraram equilíbrio nos números em relação ao mesmo período de fevereiro do ano passado.

No mês de fevereiro foi registrado apenas uma (01) impraticabilidade da barra em função de ocorrência de ondas e ventos acima dos limites operacionais. O cancelamento da escala do navio foi decidido por conveniência do armador.

Num comparativo entre 2017 e 2018, os principais produtos exportados em fevereiro que tiveram crescimento foram: Fumo (81,2%), Papel e Derivados (224,6%) seguido por Cerâmicas e Vidros (175,7%).

Ainda quanto aos produtos exportados, permanece em baixa devido ao bloqueio na compra de carnes e frango congelado e de suínos feito pela Rússia desde novembro de 2017. A queda das cargas frigorificadas (Reefer) foi de -20,2% (Frango), -20,9% (Carnes) e -69,4% (Peixes).

Nas mercadorias importadas o destaque de fevereiro foi: Cerâmica e Vidros (143,6%), Alimentos em geral (74,1%) e Plásticos e Borrachas (61,8%).

Na totalização da movimentação da balança comercial, fevereiro destacou ainda 59% no sentido de cargas exportadas e 41% de cargas importadas do comércio exterior de Santa Catarina tendo ainda participação na Corrente de Comércio com 64,1% e no Brasil com 3,8%.

Por Redação 

Deixe uma resposta