Porto de Paranaguá em três lances

0
654

O Porto de Paranaguá tem ocupado o noticiário por diferentes motivos, uns extremamente positivos, mas outros nem tanto assim. Apesar de evolução e investimentos, nem tudo são flores. Saiba um pouco mais nesses três lances que separamos para vocês.

Maior graneleiro da história – No início do mês o Porto de Paranaguá recebeu em sua área de fundeio o navio Jubilant Devotion. A embarcação vai carregar 87 mil toneladas de farelo de soja e será a maior operação graneleira da história do porto, equivalente a mais de 2,9 mil carretas carregadas de produto. A manobra de atracação está prevista para o dia 17 de março, a 01:30. Antes do Jubilant Devotion, o maior carregamento feito pelo porto tinha sido o navio Nord Cetus, que embarcou 84,7 mil toneladas em 2013.

SRTE verifica condições de trabalho – Uma operação da Superintendência Regional do Trabalho do Estado do Paraná (SRTE-PR) está verificando desde a segunda-feira (12), as condições de trabalho e segurança no Porto de Paranaguá, devido ao grande número de demandas para investigar o local. No início de fevereiro um trabalhador terceirizado morreu soterrado na área de descarga de fertilizantes, enquanto fazia a limpeza do equipamento de descarga. O operador do guindaste alegou não ter percebido a presença do homem no interior do funil e, após receber a autorização via rádio, liberou a carga, soterrando a vítima. A equipe de resgate foi acionada, mas já encontrou o trabalhador morto.

Programas Ambientais – O Porto de Paranaguá começou o ano de 2018 com 57 programas ambientais realizados simultaneamente, número que deve chegar a 62 até o segundo semestre. As ações garantiram ao porto paranaense a primeira posição no Índice de Desempenho Ambiental da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) 2017. Entre todos os portos públicos avaliados, o de Paranaguá é o que mais evoluiu, saltando da 26ª colocação no ranking nacional de portos para a liderança, em três anos.

Por Redação

Deixe uma resposta