Seacor vai ter seu primeiro OSV com sistema híbrido de energia

0
522

A Seacor escolheu recentememte a ABS para classificar seu primeiro OSV no Golfo do México que vai operar utilizando energia híbrida, bem mais limpa e eficiente que a convencional, e que atende aos mais recentes requisitos ambientais relacionados às emissões atmosféricas.

O armador solocitou a notação de classe BATTERY-Li para o seu PSV Seacor Maya, um PSV 5000 DP Classe 2, construído em 2015, com propulsão diesel elétrica, operado atualmente pela Mantenimiento Express Maritimo SAPI de CV (MEXMAR), uma joint venture da Seacor no México.

A obra que está fazendo a modificação no barco está em andamento e tem previsão de terminar em maio de 2018,para que o barco possa então utilizar as baterias de lítio e a Seacor pretende fazer o mesmo processo de conversão para energia híbrida nos barcos Seacor Aztecz, Seacor Warrior e Seacor Viking, todos também operados pela MEXMAR, até julho de 2018.

Toda a parte de integração do sistema de armazenamento de energia com o PMS do barco foi feita pela Kongsberg, que também fez o upgrade dos sistemas já existentes de posicionamento dinâmico (K-Pos DP-22) e do Integrated Automation System, o conhecido IAS (K-Chief 700 IAS), aumentando a eficiência de ambos perante a nova planta de energia. Para se ter uma ideia, as funções do K-Pos DP-22 já com a atualização incluem o monitoramento de carga e a prevenção de apagão já com o novo sistema de armazenamento de enrgia disponível. O sistema vai mostrar, monitorar e controlar o banco de baterias, mostrando aos operadores todos os dados como capacidade total, carga disponível, status de funcionamento / uso e todos os pontos de monitoramento necessários para que o navio tenha capacidade de manter sua posição, mesmo no pior cenário de falha dos thrusters ou apagão.

Essa integração possibilitará um alto ganho tecnológico, per itindo que os sistemas K-Pos, K-Chief e K-Thrust funcionem em perfeita sincronização e fazendo do Seacor Maya um barco com o que há de mais moderno em termos de tecnologia de posicionamento dinâmico embarcada. Os principais componentes do sistema incluem Dynamic Load Prediction, Dynamic Inertia Control e Dynamic Hybrid Control, combinados com um sistema automático de start/stop.

Saiba um pouco mais sobre o Seacor Maya:

Fonte: Seacor

O ganho é alto para a empresa, já que são muitos os benefícios econômicos e ambientais relacionados ao navios que reduzem emissões de gases e consumo de combustível. Um navio com esta classificação é um marco que reforça o foco tanto da Seacor como da ABS na segurança e promove o desenvolvimento da tecnologia na Marinha Mercante, através de aplicações alternativas na geração e armazenamento de energia, otimizando a eficiência das embarcações.

A Seacor espera uma economia de cerca de 20% de combustível e destaca a necessidade de estar em conformidade com as novas regras relacionadas às emissões atmosféricas. A nova tecnologia vai facilitar este processo. A empresa também destaca a complexidade que envolve um processo onde há a integração de tecnologias.

Ainda não há previsão de aplicação desta tecnologia aqui no Brasil, nem pela Seacor, nem por nenhum outro armador.

É claro que o FMEA do DP e o Capability Plot será alterado e não posso negar que os profissionais que vão fazer este sea trial estão me causando uma certa inveja…

Mas é aquela inveja positiva, pois realmente seria uma honra participar deste evento.

Parabéns à Seacor pela escolha feita e por se colocar como uma das líderes dessa nova fase mais “verde” e eficiente da Marinha Mercante mundial.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta