Grandes Veleiros abertos para visitação no Porto do Rio de Janeiro

0
689

Como resultado do sucesso obtido na “Velas Sudamérica 2010”, as marinhas da América Latina concordaram, por ocasião da XXV Conferência Naval Interamericana, realizar uma reunião de grandes veleiros a cada quatro anos, sob o nome de “Velas América Latina”. Seu objetivo seria fortalecer os laços de amizade entre as diferentes marinhas e a população dos países e portos visitados.

“Velas Latinoamérica 2018” convocará um número significativo de grandes veleiros de diferentes partes do mundo, em uma reunião internacional, fortalecendo a irmandade e camaradagem entre as cidades participantes e suas marinhas. Estes veleiros desenvolverão uma viagem de 157 dias, em que as águas que banham as costas da América Latina e do Caribe navegarão, cobrindo mais de 12 mil milhas náuticas, o equivalente a 19.312 quilômetros.

Os navios que fazem parte deste desafio terão a oportunidade de visitar as cidades e portos mais importantes da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, República Dominicana, Venezuela, Uruguai, Panamá e Curaçao.

A Marinha do Brasil receberá, entre os dias 25 de março e 1º de abril, no Porto do Rio de Janeiro, a etapa brasileira do evento “Velas Latinoamérica 2018.

Programação

O evento reunirá sete Navios Veleiros estrangeiros e o Navio Veleiro “Cisne Branco”, que estarão atracados entre os armazéns 1 e 7 do Cais do Píer Mauá.

O público poderá visitar gratuitamente os Grandes Veleiros até sábado (31 de março) das 13h às 17h30, entre os armazéns 1 e 7 do Cais do Píer Mauá, RJ.

Na etapa brasileira, será realizado um Desfile Naval na chegada ao Rio de Janeiro, no dia 25 de março, com os navios passando em frente às praias da Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon, Ipanema e Copacabana.

O evento se repete no encerramento, dia 1º de abril, quando os navios partem com destino a Montevidéu, no Uruguai.

No dia 31 de março, às 17h30, haverá uma apresentação da Banda do Corpo de Fuzileiros Navais aberta ao público, na Praça Mauá.

Fonte: Marinha do Brasil

Por Redação 

Deixe uma resposta