Parente diz que Petrobras vai participar dos leilões da ANP seletivamente

0
296
Pedro Parente, Presidente da Petrobras – Foto: Adriano Machado / Reuters

A Petrobras vai participar do leilão de áreas exploratórias de petróleo e gás na quinta-feira de maneira seletiva, em busca de aumentar o portfólio da empresa, afirmou nesta terça-feira o presidente da petroleira estatal, Pedro Parente.

A 15ª Rodada, realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em regime de concessão, vai licitar 70 áreas nas bacias sedimentares marítimas do Ceará, Potiguar, Sergipe-Alagoas, Campos e Santos e nas bacias terrestres do Parnaíba e do Paraná.

“Vamos entrar de maneira seletiva… vamos continuar aumentando o nosso (portfólio)… Vamos tentar, não sabemos se vamos ganhar”, ponderou Parente, a jornalistas, após participar de evento na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Nos campos que exigem maior investimento e maior risco, Parente destacou que o modelo de participação mais adequado para a empresa é o de parcerias.

“Temos um orçamento e um processo de governança que estabelecem limites, e esses limites nós vamos seguir.”

Na 14ª Rodada, a Petrobras e a norte-americana Exxon Mobil atuaram em parceria. O maior bônus de assinatura do leilão foi de cerca de 2,24 bilhões de reais pelo bloco C-M-346, oferecido pelo consórcio em que cada empresa detém 50 por cento, com operação da estatal brasileira.

Para o leilão de quinta-feira no Brasil, 21 empresas, incluindo Chevron, BP, Exxon, Shell, Statoil e Total se registraram para concorrer.

Parente comentou ainda uma perspectiva do mercado de que haja pré-sal em blocos que serão licitados da 15ª Rodada, que estão na fronteira do chamado polígono do pré-sal.

“Aquela é uma fronteira legal, que obviamente não tem a ver com uma fronteira geológica, e, de fato, são campos que podem ter interesse importante”, disse Parente.

O executivo evitou fazer comentários sobre se irá buscar ser operador das áreas para as quais realizará lances.

Além disso, explicou que também é preciso avaliar a 15ª Rodada em conjunto com a próxima rodada do pré-sal, prevista para junho, que também apresenta áreas importantes.

Ele disse que o setor contará com “bons leilões” neste ano no Brasil.

ENDIVIDAMENTO

Durante sua apresentação no evento, em um auditório com mais de 500 executivos e representantes do setor de petróleo e gás, na Firjan, Parente mostrou otimismo ao falar do trabalho para reduzir a dívida da companhia, a maior do setor no mundo.

Segundo o executivo, a empresa poderá encerrar o ano com o indicador de alavancagem medido pela dívida líquida/Ebitda em 2 vezes, se os preços do petróleo ficarem firmes em torno de 70 dólares o barril.

Parente, no entanto, manteve a meta de 2,5 vezes para a dívida/Ebitda da empresa até o fim de 2018, e disse acreditar que o indicador deve convergir para uma relação de 1,5 vez em 2022.

O Brent era cotado a pouco mais de 70 dólares o barril nesta terça-feira.

Fonte: Marta Nogueira e Rodrigo Viga Gaier / Reuters

Por Redação 

Deixe uma resposta