A Petrobras perdeu uma disputa em um tribunal internacional de arbitragem movida pela Vantage Drilling Internacional, que questionou o encerramento de um contrato de fornecimento de sondas em agosto de 2015.

Segundo comunicado divulgado pela Vantage, o tribunal de arbitragem deu ganho para a companhia, e determinou que a Petrobras deverá pagar uma indenização de US$ 622 milhões para a fornecedora de sondas.

O montante é superior ao previsto pela companhia em seu formulário 20-F mais recente, que estimava uma perda de US$ 400 milhões.

A perda não estava provisionada no balanço da companhia.

A Petrobras havia firmado um contrato de US$ 1,6 bilhão com a Vantage para o fornecimento das sondas por oito anos, até 2020. Em 2015, no entanto, a petroleira estatal cancelou o contrato, alegando que a Vantage descumpriu suas obrigações.

A Vantage foi implicada nas investigações da Operação Lava-Jato a partir da delação do ex-diretor da área internacional da Petrobras Jorge Zelada.

Ao ser notificada sobre o encerramento do contrato, a Vantage entrou com a queixa contra a Petrobras em um tribunal de arbitragem internacional. Além da estatal, também foram citadas na ação a Petrobras America e a Petrobras Venezuela Investments & Services.

Segundo comunicado da Vantage, o tribunal rejeitou as queixas apresentadas pela Petrobras. Quando o contrato foi rescindido, restavam ainda 5 anos e meio de duração, serviços avaliados em US$ 1,1 bilhão.

Fonte: Valor Econômico 

Por Redação 

Deixe uma resposta