Quatro petroleiras iniciaram em 2018 licenciamento de seis campanhas de perfuração no Ibama até esta quinta-feira (19/7). As campanhas estão programadas para as bacias de Campos, Santos e Foz do Amazonas e são licenciadas por Shell, Petrobras, PetroRio e Equinor.  Podem representar a perfuração de até 23 poços exploratórios, o que faz do próximo ano o melhor para a perfuração offshore desde 2014.

Números. Os números representam um salto. Em 2017, por exemplo, foram perfurados no país oito poços exploratórios no mar. Está muito longe, é claro, do pico da demanda registrada em 2011, durante as campanhas exploratórias da Petrobras no pré-sal de Santos, quando foram perfurados 129 poços no mar. 

Empresas. A maior parte do licenciamento para poços, todos exploratórios, é resultado dos leilões de petróleo realizados no último ano. A exceção é a campanha da PetroRio para cinco poços na Foz do Amazonas, em áreas arrematadas na 11a rodada, realizada em 2013.

Leilões. Desde que decidiu retomar os leilões de blocos exploratórios no país, o governo já conseguiu vender a concessão de 44 blocos exploratórios offshore. Nove deles no regime de partilha da produção, vendidos após a aprovação do projeto do senador José Serra (PSDB/SP), que acabou com a operação única da Petrobras no pré-sal. Outros 35 blocos foram arrematados por petroleiras na 14a e 15a rodadas de licitações com áreas de concessão.

A íntegra do levantamento, com mapas, gráficos e um overview de cada campanha, pode ser vista aqui: https://goo.gl/m6GfDb

Fonte: E&P Brasil

Por Redação 

Deixe uma resposta