É provável que o mercado de petróleo permaneça com nervosismo na próxima semana devido ao potencial excesso de oferta, apesar dos sinais de que as sanções dos EUA ao Irã poderiam conter a produção.

As preocupações de que uma disputa comercial entre os Estados Unidos e a China desaceleraria o crescimento econômico e prejudicaria a demanda por petróleo estiveram em primeiro plano recentemente.

Apesar dessas preocupações, o mercado provavelmente obterá sustentação com a introdução de sanções dos EUA contra o Irã, que em novembro incluirão exportações de petróleo.

As sanções estão sendo restabelecidas depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abandonou o acordo nuclear com o Irã no início deste ano.

O Irã é o terceiro maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, fornecendo cerca de 2,5 milhões de barris por dia de petróleo bruto e condensado para os mercados neste ano, o equivalente a cerca de 2,5% do consumo global.

A consultoria de energia FGE diz esperar que esse número caia abaixo de 1 milhão de barris por dia até meados de 2019.

Além disso, novos dados semanais sobre os estoques comerciais de petróleo bruto nos EUA na terça e na quarta-feira para avaliar a força da demanda do maior consumidor de petróleo do mundo irão capturar a atenção do mercado.

Agentes do mercado também se concentrarão em dados semanais de contagem de sonda para sinais adicionais sobre os níveis de produção dos EUA.

Em um sinal estimulante, a contagem de sondas nos EUA, um indicador precoce da produção futura, teve redução de 9 e totalizou 860 na semana passada, de acordo com a Baker Hughes, empresa prestadora de serviços a campos petrolíferos, o que indica uma desaceleração na produção.

Isso aconteceu depois que os dados divulgados no início da semana mostraram que os estoques de petróleo dos EUA tiveram redução de 5,8 milhões de barris na semana encerrada em 17 de agosto.

Os contratos futuros de petróleo subiram na sexta-feira, com a referência dos EUA registrando seu primeiro ganho semanal em cerca de dois meses.

Os contratos futuros de petróleo bruto West Texas Intermediate com vencimento em outubro avançaram US$ 0,89, ou cerca de 1,3%, para US$ 68,72 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (NYMEX, na sigla em inglês).

O índice de referência nos EUA terminou a semana em alta de cerca de 4,2%, após sete semanas consecutivas de quedas.

O petróleo Brent, referência global, teve alta de US$ 1,09, ou 1,5%, e encerrou cotado a US$ 75,82 o barril na bolsa de futuros ICE (ICE Futures Exchange), com o contrato registrando um ganho semanal de cerca de 5,5%. Foi a quebra de uma sequência de três semanas de derrotas.

Antes da semana que está por vir, a Investing.com compilou uma lista com estes e outros eventos significativos que podem afetar o mercado de petróleo.

Terça-feira, 28 de agosto – O Instituto Americano de Petróleo deverá publicar sua atualização semanal sobre a oferta de petróleo nos EUA.

Quarta-feira, 29 de agosto – A Administração de Informações de Energia dos EUA deverá divulgar seus dados semanais sobre estoques de petróleo.

Sexta-feira, 31 de agosto – A Baker Hughes divulgará seus dados semanais sobre a contagem de sondas de petróleo nos EUA.

Fonte: Investing.com

Por Redação

Deixe uma resposta