Mais uma explosão no Golfo desvaloriza papéis da Mariner

0

Ontem, quinta feira, por volta das 14:30, houve uma grande explosão, seguida de incêndio,  numa plataforma de petróleo e gás , localizada no Golfo do México.

Após a explosão na Plataforma da Mariner Energy localizada no Bloco de Exploração Vermilion 380, a Guarda Costeira dos EUA identificou uma mancha que chega a quase 50 mil metros quadrados (1,6 mil por 30 metros ), mas “não se sabe” de onde provém exatamente, uma vez que a mancha está nos arredores da plataforma acidentada, nas mesmas águas onde ocorre o vazamento da Deepwater Horizon. Segundo as últimas informações, a mancha não tem ligação alguma com este evento.

Todos os 13 trabalhadores que estavam a bordo pularam  na água, evstidos com roupas de imersão (um deles, ferido, mas sem gravidade). A Guarda Costeira dos EUA resgatou-os e realocou-os em um navio, transferindo-os posteriormente para um hospital. A Marine Energy, proprietária da Plataforma, através de seu Porta Voz, o Sr Patrick Cassady, disse à rede de televisão americana “CNN” que “não há informação de nenhum derramamento” e que as causas do acidente ainda são desconhecidas, não podendo afirmar nada até que as investigações sejam concluídas. Segundo o Sr Cassidy, não há operações de perfuração na plataforma e existem sete poços petrolíferos ao redor da mesma.

Logo após a explosão, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, informou que o poço “não está ativo”, mas disse que, caso seja confirmada a contaminação, os recursos para responder estão prontos.

Foto: Herbert / AP

Esta plataforma está localizada a aproximadamente 145 quilômetros ao sul da Baía de Vermilion, na Louisiana, e a oeste do poço Macondo da BP, onde atuava a Plataforma Deepwater Horizon. O analista Raoul LeBlanc, da PFC Energy, em Houston, deu a seguinte declaração:

“Se é um acidente industrial e não envolve um poço, ainda assim é ruim…. mas é improvável que tenha implicações a longo prazo para a produção no Golfo do México”.

Veja o vídeo:

 

Segundo o Departamento de Interior dos Estados Unidos, no momento do acidente, a plataforma não perfurava nem produzia, pois estava em manutenção, após danos ocasionados pelo furacão “Ike”, que assolou o Golfo em 2008. Eu, particularmente, me pergunto que reparo é esse que dura dois anos…

A causa da explosão ainda é desconhecida.

Foto: Herbert / AP

A Mariner informou que a unidade, na última semana de Agosto, estava com uma produção média de 9,2 milhões de pés cúbicos de gás natural/dia e 1400 barris de petróleo e condensados / dia.

O Acidente causaou a queda das ações da Mariner e da Apache Corp, que está em negociações para compra da Mariner. Os veículos de Imprensa dos Estados Unidos têm veiculado informações desconexas em relação à porcentagem dessa queda, mas, para o nosso Portal, esse fator é irrelevante.

Foto: European Pressphoto Agency

A Mariner participou de ao menos 35 projetos em águas profundas no Golfo do México e operou em mais da metade deles.

Apesar dos acontecimentos, a Agência Down Jones informa que a petroleira norte-americana Apache Corp. afirmou que espera concluir no fim deste mês ou começo de outubro a aquisição da Mariner Energy, apesar da explosão de uma plataforma da empresa hoje no Golfo do México.

O porta-voz da Apache, Bob Dye, disse que a transação de US$ 2,7 bilhões, que foi anunciada em abril, com previsão de ser concluída no terceiro trimestre, vai continuar normalmente, apesar do incidente. A finalização do acordo depende da aprovação das autoridades reguladoras.

Este é mais um exemplo de quão perigosa é nossa profissão e, para os que acham que “ganhamos muito”, aí está a parte ruim dessa aparentemente “Vida Mole” que os leigos acham que levamos. Trabalhamos 24 horas expostos ao perigo, mas com todas as condições controladas, em cima de procedimentos e mais procedimentos. Mesmoa ssim, determinadas condições, por uma razão ou outra, fogem ao nosso controle.

Fica aqui o alerta para os que acham que a vida de embarcado é uma “moleza”.

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Valew cintra !

    É dificil falar em manutenção, num mundo (o das plataformas) onde segurança é valida somente enquanto não se está perdendo dinheiro.
    Manutenção, tem que ser feita sempre.
    Segurança, tem que vir em primeiro lugar, sempre.
    Enquanto isso nao for realidade, mais acidentes irão acontecer.

    Abs

    • Felipe, eu acredito que esta cultura vem mudando aos poucos, e depende dos profisssionais a frente dos setores de Manutenção nas Plataformas assumirem isso.
      Não estamos a bordo simplesmente por estarmos.
      Eu realmente não faço a mínima idéia do que tenha ocorrido, ainda mais havendo declarações de que a Plataforma não estava perfurando nem produzindo.
      Vamos aguardar as autoridades se manifestarem.

Deixe uma resposta